PEDÁGIO ENTRE MT E MS

Deputado de MT ameaça entrar na Justiça contra Rota do Oeste

O início da cobrança de pedágio nas BRs-364/163 em Mato Grosso no trecho entre a divisa com Mato Grosso do Sul e Sinop, vem gerando intensos debates no Legislativo mato-grossense.

Vários deputados questionam a cobrança por entenderem que alguns pontos previstos na licitação, como a conclusão da duplicação de alguns trechos ainda não foram cumpridos pela concessionária.

Existe, inclusive, uma corrente que defende uma medida judicial para suspender a cobrança iniciada no último fim de semana.

Por conta desse impasse, o deputado Pedro Satélite (PSD), convidou o diretor do Consórcio Rota do Oeste, Paulo Meira Lins, para apresentar aos parlamentares o cronograma das obras e explicar detalhes da concessão.

A reunião esta marcada para esta quarta-feira (9), às 15h30, na sede da Assembleia Legislativa, durante o Colégio de Líderes.

“Não queremos de forma alguma criar uma insegurança jurídica. O que buscamos é garantir uma cobrança justa”, relata Satélite.

O parlamentar percorreu o trecho de 500 km entre Sinop e Cuiabá, no final de semana e disse ter tido uma boa impressão.

Atualmente, oito das nove praças de pedágio já estão em funcionamento nas regiões de Itiquira (km 33,6 da BR-163), Rondonópolis (km 214,4 da BR-364), Campo Verde (km 316,55 da BR-364), Santo Antonio do Leverger (km 383,15 da BR-364), Jangada (km 479,1 da BR-364), Nova Mutum (km 586,9 da BR-163), Lucas do Rio Verde (km 664,45 da BR-163) e Sorriso (766,7).

Em fase de conclusão, a praça de Diamantino, no km 579,1 da BR-364, deve ser aberta no fim de setembro.

O valor da tarifa definido pela ANTT é de R$ 4,50 por eixo a cada 100 quilômetros rodados.

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 25 de junho de 2019 às 07:48:15
  • 24 de junho de 2019 às 16:44:52