DELAÇÃO BOMBA À VISTA

Ex-governador Silval Barbosa apresenta áudios e vídeos para promotores de Justiça

DA REDAÇÃO

Reportagem do Diário de Cuiabá desta quinta-feira (20) revela que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) começou a apresentar várias provas dos seus depoimentos que vem fazendo junto ao Ministério Público Federal e Estadual (MPF-MPE) desde março deste ano.

Segundo o jornal, na última terça-feira (18), o ex-chefe do executivo teria passado mais de seis horas prestando informações à promotora de Justiça,  Ana Cristina Bardusco Silva.

Ela coordena o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA) no Estado.

Diário de Cuiabá diz que desde que começou a buscar o acordo de delação premiada no MPF e MPE, Silval vem apresentado diversos documentos que comprovariam o que vem dizendo aos órgãos, como e-mails, documentos, troca de mensagens e até áudios e vídeos que foram gravados pelo próprio ex-governador.

“Todos os depoimentos que ele vem fazendo estão sendo gravados. Mas o que mais chama atenção é que ele parece ter muitas provas de tudo vem falando. E isso envolve muitas pessoas”, disse um dos membros do Ministério Público de Mato Grosso ouvidos pela reportagem do Diário.

“O Silval está falando tudo o que sabe e o que pode provar. Essa decisão é a última cartada que ele tem. E ele está falando e está dizendo que pode provar tudo. Então vamos aguardar os depoimentos e depois avaliar se procede e se as provas que ele diz ter condizem com os fatos. Só depois disso que vamos avaliar a possibilidade da proposta de colaboração premiada”, diz outro promotor de justiça.

Após os depoimentos, o MPE e MPF irão avaliar se firma ou não acordo de delação com o ex-chefe do Executivo Mato-Grossense. “Firmando o acordo irá se avaliar qual será o benefício que poderá ser a diminuição da pena, cumprindo mais um tempo em regime fechado e depois no semiaberto ou se irá para outro regime de cumprimento de pena como o regime domiciliar”, explicou o promotor em entrevista ao jornal.

Silval Barbosa completou um ano e sete meses preso no Centro de Custódia de Cuiabá em decorrência da primeira fase da Operação Sodoma, deflagrada em setembro de 2015 pela Delegacia Fazendária.

Silval é acusado de ter sido beneficiado em um esquema de fraudes na concessão de incentivos fiscais.

O ex-governador também é alvo de outras operações desencadeadas no Estado sob corrupção que teria ocorrido em sua gestão.

A defesa de Silval nega que ele esteja fazendo delação. O processo é sigiloso. Com Diário de Cuiabá


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 20 de abril de 2017 às 16:10:20
  • 20 de abril de 2017 às 10:23:19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.