LIVRO DE RUA

Projeto leva mais de três mil livros gratuitos a bairros da capital

DA REDAÇÃO

O projeto Livro de Rua promovido pela prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), em alusão ao Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado na última terça-feira (18), levou um acervo de mais de três mil livros a população do bairro Nova Esperança e outros cinco próximos a região.

 A ação acontece todos os anos e nesta edição a coordenadoria de Biblioteca Saber com Sabor inovou os moldes ao empregar o conceito Bookcrossing, criado nos Estados Unidos no começo dos anos 2000, que visa deixar disponível livros em locais públicos para ‘libertá-los’ de modo a atingir o maior número de pessoas a praticar leitura.

O evento foi pensado dentro da proposta de humanização e inclusão da atual gestão municipal voltado na disseminação da leitura, principalmente, nas comunidades e na sociedade de modo geral.

Morador do bairro Nova Esperança I, Gabriel Senna, de 18 anos, se mostrou impressionado com a ação nunca antes vista na comunidade.

“Eu achei muito interessante à prefeitura trazer esse tipo de ação aqui para o bairro, pois moro aqui há 10 anos e nunca vi algo desse tipo na região”, contou o estudante que levou dois livros e confessou possuir o hábito de leitura.

Além de moradores dos bairros Industriário I e II, Nova Esperança I e II, São Sebastião e Pascoal Ramos, o projeto atendeu os alunos das escolas municipais Jesus Criança, Ana Tereza Arcos Krause, Onofre de Oliveira, Darcy Ribeiro e São Sebastião e as creches Manoelina de Jesus e São Benedito.

A escola estadual Pascoal Ramos também levou algumas turmas de alunos para visitar o stand de livros.

“Foi uma surpresa essa ação e como está próximo da escola resolvemos trazer os alunos para visitar e reforçar a ideia de criar o hábito de leitura que é tão importante para o crescimento educacional do aluno”, ressaltou a professora do Estado, Nilsa David.

O projeto Livro de Rua busca quebrar o paradigma de biblioteca tradicional mediante o conceito Bookcrossing, segundo a coordenadora de Biblioteca Saber com Saber, Edvair Alves.

“Esse projeto de rua é o primeiro que acontece desta forma e a ideia é descentralizar e levar para as comunidades dando o chamado ‘pernas’ aos livros. Esse é o grande objetivo do livro liberto”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.