CEDIDO À ALMT

Investigado na CGE, ex-secretário da extinta Secopa tira dois 10 em avaliação funcional

MATO GROSSO MAIS

O ex-secretário adjunto de Infraestrutura e Desapropriações da extinta Secopa, o auditor da Controladoria-Geral do Estado, Alysson Sander de Souza, ganhou duas notas 10 na avaliação anual de desempenho, referente aos anos de 2015 e 2016.

Em entrevista ao Mato Grosso Mais, na manhã desta sexta-feira (19), o controlador-geral do Estado, Ciro Gonçalves, comentou que o auditor está cedido à Assembleia Legislativa de Mato Grosso desde o início de 2015.

Ainda segundo o controlador, as duas avaliações, com notas 10, foram feitas pela Assembleia Legislativa, e não pela CGE.

Um documento produzido pela Controladoria, por determinação do governador Pedro Taques (PSDB), no início de 2015, disse haver indícios de improbidade administrativa, crime de prevaricação, crime de possibilitar vantagem ao particular, durante a execução de contrato administrativo, supostamente praticados pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o ex-secretário extraordinário da Copa, Maurício Guimarães, e o ex-secretário adjunto de Infraestrutura e Desapropriações da Secopa, Alysson Sander de Souza, diz trecho de uma reportagem publicada no G1/MT.

Segundo o relatório, embora eles tivessem ciência das irregularidades na execução do contrato de implantação do VLT, teriam sido omissos ao não adotarem medidas efetivas que lhes competiam para penalizar o consórcio logo nos primeiros sinais de inexecuções, em 2013.

Por conta disso, a Controladoria Geral abriu um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para investigar as condutas de Souza, por ser servidor efetivo.

De acordo com Ciro Gonçalves, Allyson Sander de Souza ainda responde ao PAD, já que a investigação ainda não foi concluída em razão da complexidade do caso, já que vários relatórios subsidiaram o Procedimento Administrativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.