PRIMEIRO ABRAÇO

Separadas há 22 anos, primeiro encontro de duas irmãs gera muita emoção

DA REDAÇÃO

Em meio a investigações de crimes de homicídios e desaparecimentos enigmáticos, há também histórias boas como a de Sheila e Geilda.

Separadas há 22 anos, as duas irmãs, que nunca tiveram a oportunidade de se conhecer, se encontram e a emoção tomou conta dos corações.

Na última sexta-feira (28), a jovem Sheila Pereira Carvalho, 22, compareceu na Central de Ocorrências da 1ª Delegacia de Polícia para registrar ocorrência de extravio de documentos.

Feito o boletim de ocorrência, a comunicante resolveu aproveitar que estava no prédio e procurou o Núcleo de Desaparecidos da DHPP, para informar o desaparecimento de sua mãe biológica.

No relato, ela contou que sua mãe natural do Estado do Acre, a entregou com apenas seis meses de vida para uma família de Pontes e Lacerda (448 km de Cuiabá), a qual a criou.

Aos 17 anos, Sheila se mudou para Cuiabá, onde casou e teve um filho.

Com as informações repassadas, em poucos minutos a servidora do Núcleo de Desaparecidos da DHPP conseguiu descobrir uma irmã de Sheila, identificada como Geilda Feitosa do Nascimento, de 28 anos.

Com base nos indícios de parentesco, a Polícia Civil entrou em contato, por telefone, com Geilda, que admitiu ter uma irmã mais nova e que nunca a teria conhecido.

“Inicialmente Geilda pensou que fosse trote e inclusive desligou o telefone na minha cara. No entanto, retornamos a ligação e ao perceber a veracidade dos fatos, ela se emocionou muito e começou a chorar”, contou a servidora da DHPP Karina.

“Imediatamente, Geilda pediu para que sua patroa a liberasse e veio até a DHPP, onde Sheila a aguardava, chegando em poucos minutos. Tomadas pela emoção, as duas irmãs se abraçaram pela primeira vez.”, contou Karina.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.