GRAMPOS ILEGAIS

Ministro determina soltura e proíbe Paulo Taques de frequentar Casa Civil, Casa Militar e PM

MATO GROSSO MAIS

O ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, deve deixar nesta sexta-feira (11), o Centro de Custódia de Cuiabá, após o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), conceder liberdade na noite de ontem (10).

Paulo Taques estava preso desde a última sexta-feira (4), por decisão do desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Orlando de Almeida Perri, relator das investigações dos grampos ilegais no Estado.

Mesmo com a decisão de soltura concedida pelo Superior Tribunal de Justiça, Paulo Taques não conseguiu deixar o presídio ontem porque o Tribunal de Justiça de Mato Grosso não havia sido comunicado de forma oficial.

Após a comunicação, Paulo Taques deve ir ao Fórum de Cuiabá para ter conhecimento das medidas cautelares impostas pelo STJ.

Veja quais são:

Comparecimento regular, mensalmente, em juízo;

Não se ausentar do país sem autorização e da comarca sem comunicação judicial;

Proibição de ingressar em prédios públicos da governadoria, da Secretaria de Estado de Segurança Pública, da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, da Casa Civil, da Casa Militar e da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso;

Proibição de se comunicar com integrantes do serviço de inteligência do estado;

Paulo Taques é suspeito de participação no suposto esquema de grampos ilegais em Mato Grosso, que teriam sido feitos dentro da Cúpula da Polícia Militar.

O desembargador Orlando Perri, no mandato de prisão, acolheu a representação do delegado Juliano Silva de Carvalho e determinou que o mesmo prendesse e recolhesse o ex-secretário.

Em nota, divulgada à imprensa, Paulo Taques negou qualquer participação no caso.

O Governo do Estado também se posicionou sobre a prisão do ex-secretário e afirmou que Paulo Taques, após deixar a Casa Civil, não teve mais nenhuma interferência no Palácio Paiaguás.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 11 de agosto de 2017 às 10:46:01
  • 11 de agosto de 2017 às 09:25:12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.