MOTIVADOS POR HOMOFOBIA

Quatro de cinco autores de assassinatos de travestis são presos em Mato Grosso

DA REDAÇÃO

Dos cinco homicídios de travestis ocorridos este ano em Mato Grosso, quatro já contam com suspeitos presos. Três casos foram motivados por homofobia, um foi roubo seguido de morte e outro por desentendimento envolvendo dinheiro e droga.

CASO 1

T.M., de 28 anos, foi detido em casa, no bairro Osmar Cabral, em Cuiabá, no dia 03 de setembro, acusado de matar atropelada a travesti Natália Pimentel, de 22 anos.

Ela foi morta no dia 25 de julho de 2017, em um ponto de prostituição, conhecido como Zero Quilômetro, localizado em Várzea Grande.

O crime ocorreu após a vítima se negar a fazer programa sexual por R$ 17.

CASO 2

V.S. da S., de 24 anos, foi preso, também em casa (um barraco de madeira), no bairro Pedra 90, dia 25 de setembro, acusado de matar a tiros a travesti Tabata Brandão, de 30 anos.

Ela foi morta no dia 25 de junho, após uma discussão com o acusado.

Ele teria xingado a vítima e outras travestis na rua, e Tabata, por sua vez, revidou as agressões verbais.

O suspeito foi em casa, pegou uma arma de fogo e voltou para cometer o crime.

CASO 3

C.O. dos S., de 28 anos, foi preso acusado de furto. Após ter sido detido, o homem confessou ter matado, no dia 02 de junho, a travesti Larissa Valverde, de 24 anos.

Ela foi assassinada com perfurações nas costas, que teriam sido provocadas por uma chave de fenda. O corpo foi encontrado no estacionamento de um supermercado na área central da cidade.

CASO 4

Um adolescente, de 15 anos, foi apreendido como suspeito do crime que vitimou a travesti, conhecida como Baiana, no dia 06 de setembro.

Ela foi encontrada morta, em uma quitinete, onde morava, com uma faca cravada no rosto.

O assassinato teria ocorrido após uma discussão por conta de dinheiro e droga.

CASO 5

Em Primavera do Leste (239 km de Cuiabá), no dia 07 de abril, a travesti Bianca Gonçalves, de 22 anos, foi vítima de latrocínio, roubo seguido de morte.

Bianca estava trabalhando com outras travestis em um ponto de prostituição, às margens da MT-130, quando o crime ocorreu. Nenhum suspeito foi preso até o momento. Com Assessoria da PJC


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 11 de outubro de 2017 às 11:30:02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.