http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/12/câmara-municipal.jpg

Amm fevereiro 2018
Cuiabá, quinta, 22 de fevereiro de 2018

NESTA QUARTA-FEIRA

Primeira testemunha falta e CPI do Paletó aprova condução coecertiva

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS

Divulgação

Alegando uma viagem marcada antecipadamente, a primeira testemunha que seria ouvida na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, Valdecir Cardoso de Almeida, não compareceu à sessão programada para acontecer nesta segunda-feira (07), na Câmara de Cuiabá.

O fato levantou suspeitas da oposição, que acusou a base do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) de manobra para prejudicar a investigação.

Em razão disso, a CPI aprovou requerimento para pedir que a Justiça determine a condução coercitiva de Valdecir.

Valdecir Cardoso de Almeira, servidor da Assembleia Legislativa, foi o primeiro convocado a depor nas oitivas da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó criada para investigar denúncia envolvendo o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

De acordo com a delação de Silvio César Correa Araujo, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Valdecir foi o responsável por instalar a câmera que filmou os parlamentares recebendo dinheiro.

Os vídeos feitos no gabinete de Silvio foram divulgados na imprensa nacional em agosto de 2017. Os mesmos foram anexados à delação do ex-chefe de gabinete e de Silval.

Além de Valdecir, Allan Zanatta, Sílvio Corrêa e Silval Barbosa serão ouvidas pelos vereadores, este mês, na Câmara Municipal de Cuiabá.

O ex-governador revelou a convocação à Câmara em janeiro, declarando que irá comparecer para reafirmar tudo que disse em sua delação. Silval foi condenado a 13 anos e cumpre prisão domiciliar.

O segundo depoimento será do próprio Silvio César, no dia 16 de fevereiro. Também serão ouvidos o ex-secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alan Zanatta no dia 21 e Silval Barbosa no dia 23.

Conhecida como ‘CPI do Paletó’, a investigação foi instaurada no mês de novembro, porque Emanuel Pinheiro, quando deputado estadual, também apareceu no vídeo da delação de Silval.

O prefeito, que também aparece no vídeo recebendo dinheiro, não foi convocado para ser ouvido este mês, mas deve prestar esclarecimentos em março.

Segundo Emanuel, ele está avaliando se irá aceitar o convite dos vereadores, já que pretende esclarecer a acusação apenas na Justiça.

*Com informações MidiaNews

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.