http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/04/WhatsApp-Image-2018-04-16-at-14.12.57.jpeg

Prounim - 12 Fórum de responsabilidade
Cuiabá, sábado, 22 de setembro de 2018

ACIDENTE NA MIGUEL SUTIL

Filha de verdureiro morto em atropelamento diz que pai não é ‘chachorro’

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS

Reprodução

A filha do verdureiro Francisco Lúcio Maia  morto na noite do último sábado (14), após ser atropelado na avenida Miguel Sutil em Cuiabá, utilizou as redes sociais para compartilhar sua indignação e pedir ajuda, para que os acusados do crime sejam punidos.

Na publicação, a filha do homem, identificada Francy Silva, pede ajuda para que a justiça condene um casal de médicos, acusados de atropelar e omitir socorro.

“Uma dor muito grande, me ajudem de alguma forma, para que esses médicos sintam na pele de alguma forma”, afirmou.

Ainda na publicação, a filha compartilhou a dor que sente em saber que houve omissão de socorro, segundo ela, seu pai foi tratado como cachorro pelos acusados.

“Meu pai não é cachorro, merecia ao menos socorro. Quero apenas justiça”, conclui.

O CASO

Francisco foi atropelado quando terminava de travessar a via e teve o corpo arremessado contra uma árvore do canteiro central. A médica ainda teria fugido do local sem prestar socorro e apresentado sinais de embriaguez.

O marido da médica estava no carro e também apresentava sinais de embriaguez. Uma testemunha seguiu o veículo até o momento em que adentraram um condomínio de luxo no bairro Jardim Itália, na Capital.

A médica foi presa pouco tempo depois e passou por audiência de custódia na tarde deste domingo (15).

O marido está solto, mas corre o risco de ser também penalizado conforme o andamento das investigações.

Leia a integra da publicação: 

O Conselho Regional de Medicina (CRM) emitiu nota sobre o caso.

Em atenção à imprensa e à sociedade, em virtude das notícias veiculadas envolvendo a médica L. B., sobre o acidente de trânsito que vitimou uma pessoa em Cuiabá, neste final de semana, o Conselho Regional de Medicina (CRM-MT) esclarece que:

1) O CRM-MT tomou conhecimento sobre o caso por meio de notícias veiculadas pela imprensa local;

2) Diante dos fatos, para que não ocorra injustiça, para ambas as partes, o CRM-MT já iniciou os procedimentos administrativos pertinentes e que o caso requer;

3) A presidente do CRM-MT, Drª. Maria de Fátima de Carvalho Ferreira, ressalta a importância de se ter cautela, evitando julgamentos precipitados. Além disso, mesmo considerando a gravidade, enfatiza que o caso não ocorreu no exercício da profissão. Destaca, ainda, que os conselhos de medicina sempre atuam considerando o Código de Ética Médica.

Assessoria de Comunicação do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso.

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 16 de abril de 2018 às 16:44:35

Uma resposta para “Filha de verdureiro morto em atropelamento diz que pai não é ‘chachorro’”

  1. dauzanades disse:

    Mas não é isso que o TJMT pensa infelizmente. Pois acaba de deferir a liminar. Se fosse um de nós, mofaria na cadeia. Mas quem tem dinheiro e conhecidos influentes, não fica preso. Pois o TJ é um tribunal de acertos.
    Está estória praticamente termina por aí, com nada vai acontecer, vai ser inocentada, assim como já mandaram por água abaixo a declaração dos policiais da alcoolemia. Nada deu nos exames somente 4 horas depois do porre.
    Pois é cidadãos, esta é a versão da justiça para ricos. A outra é a para os pobres que ficou bem claro ai. Morreu, é pobre… pelo outro lado, atropelou, dirigiu, atropelou, matou, foi aos risos na delegacia, mas tem amigos influentes e dinheiro… ai vem a salinha do quem da mais.
    Justiça só a feita com as próprias mãos pelos pobres, que se fosse ao contrário, ele atropelasse e matasse ela, tinha apanhado, estava preso e nenhum juiz ou desembargador iria olhar para o caso nos próximos 3 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *