Cuiabá, quinta, 24 de maio de 2018

QUEM VAI PEITAR?

Assembleia Legislativa pode até votar pela soltura, mas amarração de magistrado impede deputado sair do Centro de Custódia de Cuiabá

DA REDAÇÃO

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, José Zuquim Nogueira, fez a Assembleia Legislativa do Estado ficar de ‘joelhos’ ao entender que o Parlamento Estadual poderia soltar o deputado Mauro Savi (DEM),  preso na última quarta-feira (9), durante a Operação Bônus, segunda fase da Operação Bereré, após parecer favorável da Procuradoria da Casa de Leis.

Sabendo dessa possibilidade, Zuquim emitiu um comunicado ao secretário de Justiça e Direitos Humanos, Fausto Freitas, e ao diretor do Centro de Custódia de Cuiabá, onde Mauro Savi está preso, que se caso os dois desrespeitem a decisão dele podem responder por obstrução de justiça e improbidade administrativa.

Obstrução de justiça quer dizer que se Fausto ou o diretor não atender o pedido do magistrado podem ser presos por desobediência judicial.

A Assembleia Legislativa pode até entender que Savi deve ser volto, mas ele não poderá sair do Centro de Custódia por essa amarração que o magistrado fez.

Ou o secretário ou o diretor vão querer trocar de lugar com o deputado?


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 12 de Maio de 2018 às 09:40:36
  • 12 de Maio de 2018 às 09:40:15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.