EFEITO BÔNUS

Botelho diz que análise da revogação da prisão de Savi deve ser conduzida por Fabris

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM), disse, ao final do interrogatório ao Gaeco, nesta segunda-feira (14), que a análise sobre a soltura ou não do deputado estadual Mauro Savi (DEM) do Centro de Custódia de Cuiabá deve ser conduzida pelo vice-presidente da Casa de Leis, Gilmar Fabris, ou pelo segundo vice-presidente, Max Russi (PSB).

Savi foi preso na última quarta-feira (9), em decorrência da segunda fase da Operação Bereré, que apura um suposto esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina envolvendo a empresa EIG Mercados e o Detran/MT.

A Procuradoria da Assembleia Legislativa deu parecer favorável pela análise em plenário após o desembargador José Zuquim Nogueira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, informar que a Casa de Leis não teria prerrogativa para fazer a soltura de Savi.

Com receio de que a Assembleia Legislativa pudesse fazer a análise em plenário, Zuquim proibiu o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Fausto Freitas, e o diretor do Centro de Custódia de Cuiabá de soltar o deputado sob pena de desobediência judicial.

Veja Mais