http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Dr-Pérsio-Oliveira-Landim.jpg

Campanha Shopping Popular
Cuiabá, domingo, 18 de novembro de 2018

Gestão e profissionalismo no agro

PÉRSIO OLIVEIRA LANDIM

Assessoria
É evidente a consolidação do agro como um dos setores mais significativos para a economia brasileira, sua representatividade está na esteira dos acontecimentos, ao longo das décadas, tem sido palco de impactantes e sucessivas revoluções, fazendo da agricultura o porto seguro da economia do país, em especial a de Estados com alta vocação agrícola e pecuária, dentre eles o Mato Grosso.
Um dos movimentos econômicos mais influentes na economia nos últimos tempos tem sido o avanço das áreas ocupadas pela soja.
A produção agropecuária de hoje, diferente do que era 50 anos atrás, não é qualquer um que faz — o produtor tem que saber tecnicamente o que está fazendo. Quanto à pecuária, por exemplo, aquela produção que se joga os bois no pasto e deixa que a natureza faça seu papel, não existe mais há décadas. Agora a produção é extremamente sofisticada e tecnificada.
O conceito do agronegócio engloba toda a cadeia produtiva: antes, dentro e depois da porteira.
Por isso, para trocar de atividade produtiva deve-se buscar índices de produtividade que remunerem o esforço, o capital investido e o risco da mudança. Algo semelhante ocorre quando o produtor sai de uma atividade que pode ser a pecuária ou o plantio, que está acostumado a fazer e encontra-se no topo do conhecimento, para outra que não se sabe muita coisa.  Sendo assim, a troca de atividade se dará, se o retorno for compatível com o risco.
Nos últimos 10 anos, o produtor passou a ter mais conhecimento do setor. Acompanha os mercados externos, sabe da importância do dólar na vida dele, sabe como o mercado funciona, se comunica com outros segmentos em outros países.
A mão de obra se tornou artigo de luxo no campo e mais do que nunca, os produtores estão investindo na gestão de pessoas. A crescente profissionalização no campo na busca de resultados, aliada à escassez de mão de obra, tem feito com que cada vez mais se fale em temas como desenvolvimento organizacional, recrutamento e seleção, remuneração, gestão de competências, gestão de clima organizacional e comunicação no meio rural.
São necessários muitos anos de trabalho e dedicação de uma família para construir um patrimônio e solidificar um negócio, mas, com o passar do tempo, importantes decisões devem ser tomadas para garantir a continuidade de toda esta obra.
A gestão do agronegócio é uma tarefa de especialistas, desta forma, o planejamento da sucessão nos interesses familiares, através de um trabalho multidisciplinar, atua preventivamente preparando cada integrante e o patrimônio para a transição entre as gerações.
Pérsio Oliveira Landim, advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)

Veja Mais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *