Campanha Plano Unimed Fácil Agosto 18
Cuiabá, segunda, 20 de agosto de 2018

PSL DE GALLI AINDA INDEFINIDO

Presidente do PSL de MT diz que Selma dificulta as articulações

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS

O deputado federal e presidente do PSL em Mato Grosso Victório Galli, afirmou nesta semana que a exigência em ter a ex-juiza Selma Arruda para disputar uma das vagas ao Senado está dificultando o partido de participar de uma coligação nestas eleições. O partido quer montar um palanque forte para o presidenciável Jair Bolsonaro e além de ter um candidato ao Senado, também esperar formar ter uma chapa forte para disputar a Assembleia e Câmara Federal.

“Ainda tem muita coisa para acertar. Nossa pretensão é Senado, não tem essa de ser vice. Teve convite, mas nossa proposta é Senado”, disse Galli.

Apesar das indefinições, Galli deu sinais que está mais próximo de um acerto com o governador Pedro Taques (PSDB), já que o seu partido tem restrições ao PT e PC do B. “Estamos alinhando ainda, com relação a não só o Taques, mas com outros candidatos. O que é certo é que onde tem PT e PC do B, nós não vamos. Está entre Mauro e Taques, vamos ver”.

Caso a aliança se confirme, Taques vai à reeleição tendo Selma e o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) como candidatos a senatoria.

A chapa que tem o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM) como pré-candidato ao governo deverá ter o ex-governador Jaime Campos (DEM) e o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) como postulantes ao Senado, dificultando a inclusão de Selma. Outro fator importante é que a ex-juíza já declarou que possui restrições ao MDB, que já fechou apoio a Mauro.

“O que nos afasta de lá [apoio a Mauro], é que estão querendo rifar a Selma, não tem vaga para ela ser senadora. Estamos trabalhando para colocá-la na senatoria. Esse é o nosso objetivo”, destacou Galli.

Já no caso do senador Wellington Fagundes (PR), a executiva nacional do PSL tem vetos ao PCdoB, que hoje faz parte do grupo que após o republicano.

“Ainda não está definido, mas estamos analisando. A gente pode aliar com PR desde que lá não tenha o PCdoB e o PT,mas as conversas continuam”.

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *