http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/08/senador-blairo-maggi-brasilia-20110818-original1.jpeg

Campanha Unimed Novembro
Cuiabá, domingo, 18 de novembro de 2018

DESBUROCRATIZAÇÃO

Maggi cobra transparência e responsabilidade para crescimento do agro

VIVIANE PETROLI / MATO GROSSO AGRO

Foto: Geraldo Magela

Mais transparência e responsabilidade. Os dois foram os principais pontos cobrados de representantes de 28 entidades do setor do agronegócio na quinta-feira, 16 de agosto, pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. Durante a reunião o ministro lembrou que o país “perdeu” a Rússia como cliente para a carne suína porque “alguém não cumpriu” as exigências de exportar a mesma sem a presença da ractopamina – um indutor de crescimento usado no mundo inteiro, mas não aceito pelo mercado russo.

A reunião entre Maggi e representantes de entidades do setor do agronegócio teve como intuito avaliar os dois anos do programa de desburocratização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Ao final do encontro o ministro da Agricultura pediu mais empenho dos empresários quanto a responsabilidade e transparência nas entregas ao consumidor. “O tempo do ‘jeitinho’ não existe mais”, advertiu.

Maggi lembrou ainda aos empresários que a pasta do governo federal vem implementando mudanças em seus processos para se adequar às exigências dos mercados externo e interno.

De acordo com Maggi, o Brasil possui capacidade de dobrar a sua capacidade de produção e ao mesmo tempo atender as necessidades dos compradores externos. Entretanto, frisou ser preciso cumprir com os seus compromissos e citou a Rússia como exemplo.

“Foi feito um acordo entre as empresas privadas dos dois países, sem a participação do governo, para a venda da carne sem a ractopamina, mas alguém não cumpriu e estamos enfrentando problemas com os russos por causa disso”, disse Maggi, salientando que o erro de um empresário apenas pode levar todo um mercado a sofrer as consequências.

Maggi ainda advertiu que “O Brasil é grande, é forte no agronegócio, é bom no que produz, mas tem problemas e temos que enfrentá-los com transparência. As associações têm que exigir o compromisso de que todas as empresas vão andar na linha”.

Entre os avanços verificados com a implantação do programa de desburocratização pelo Ministério da Agricultura estão os processos em sanidade animal, como apontado pela dirigente da Associação Brasileira de Criação de Suínos (ABCS). “Conseguimos desburocratizar processos em sanidade animal o que impulsionou a exportação de genética suína e em 60 dias devemos ver destravadas novas venda para a América Latina”.

O presidente da Associação Brasileira de Piscicultura, Francisco Medeiros, declarou que o programa de desburocratização ajudou as vendas de tilápias, que registrou crescimento de 8% nas exportações no ano passado. “Esse aumento será fundamental para que o segmento alcance o posto de terceiro maior exportador mundial em 2 anos. Hoje o Brasil é o quarto no ranking mundial”.

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 17 de agosto de 2018 às 16:52:33

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *