http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/08/Rui-Prado.png

Prounim - 12 Fórum de responsabilidade
Cuiabá, quarta, 19 de setembro de 2018

PROMESSAS

Vice de Taques, Rui Prado faz campanha com foco no agronegócio

DA ASSESSORIA

Foto: Marcus Mesquita

Candidato a vice-governador na chapa liderada por Pedro Taques (PSDB), o produtor rural Rui Prado (PSDB) tem percorrido o interior do Estado fortalecendo o projeto dos tucanos principalmente com o agronegócio. Entre os principais argumentos usados por Rui para dialogar com o setor produtivo está o cumprimento do compromisso de atuar no aprimoramento da infraestrutura de logística de transportes, uma das principais necessidades do Estado para escoamento da produção. Com o programa Pró-Estradas, a gestão Taques construiu três vezes mais estradas que a gestão passada.

“Venho conversando com as pessoas do setor do agro, o setor é diferenciado, temos pequenos produtores, médios e grandes produtores, das mais diversas culturas e da pecuária. A maioria do setor apoia a reeleição de Pedro Taques por entender que o governador pegou o Estado com muitas dificuldades, mas mesmo assim tem feito avanços para o setor. Cito sempre a construção e reconstrução de 2.600 quilômetros de estradas”, disse o candidato a vice-governador.

Por conta do trabalho de fortalecimento da infraestrutura e logística, Rui reforça que o setor produtivo está com Pedro. Pontua ainda que praticamente todas as unidades do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea) estão sendo reformadas em parceria com o setor na gestão de Pedro Taques. “É o órgão que atende diretamente o produtor, principalmente os que trabalham com a pecuária de leite e de corte, o madeireiro entre outros”, comenta.

Apesar das dificuldades, Rui Prado pontua que o governador Pedro Taques tem conseguido importantes avanços. “Antes o produtor pagava o Fethab e o dinheiro ‘se perdia’ nas obras da Copa. Ficaram 5 anos e só fizeram 890 quilômetros de estradas. Em 3 anos e meio já são 2.600 quilômetros”, comentou.

Rui ressalta ainda que basta comparar como era o estado em 2014, quando havia recorrentes problemas com pontes de madeiras e na manutenção das estradas não pavimentadas e como está hoje, graças aos repasses do Fethab aos municípios e de óleo diesel para a manutenção das estradas. “A maioria dos membros do setor entendem que esse é um governo que avança no caminho certo”, concluiu.

Sinalização ao setor – Na semana passada Taques deu mais uma sinalização ao setor produtivo de Mato Grosso ao informar que não renovará a contribuição do chamado Fethab 2. O Novo Fethab, como é conhecido, foi aprovado em 2016 pela Assembleia Legislativa e tem ajudado o Governo do Estado a acelerar as obras de infraestrutura. O prazo da contribuição para o fundo termina em 31 de dezembro de 2018.

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 23 de agosto de 2018 às 15:47:34

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *