http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/09/ec8848455055338e325e74e8f20ba3be-e1538075956856.jpg

Campanha Shopping Popular
Cuiabá, quarta, 19 de dezembro de 2018

POR 2 A 1

Na raça, Corinthians bate Flamengo e avança à final da Copa do Brasil

ESTADÃO CONTEÚDO

Ale Cabral

Na base da raça, da vontade, com certa dose de sofrimento e embalado por 44 mil torcedores, o Corinthians venceu o Flamengo por 2 a 1 nesta quarta-feira, em casa, e garantiu vaga na decisão da Copa do Brasil. Apesar de ser inferior tecnicamente do que o adversário, o time alvinegro superou suas limitações e agora enfrentará o Cruzeiro na final do torneio. A equipe celeste empatou com o Palmeiras por 1 a 1 no Mineirão e avançou por ter vencido o jogo de ida por 1 a 0.

O gol da classificação corintiana foi marcado por Pedrinho, em seu primeiro lance no jogo. Ele entrou no segundo tempo no momento em que Cássio segurava a pressão do Flamengo. Ao substituir Clayson, o jovem corintiano dominou de fora da área e mandou para as redes. 

No primeiro tempo, Danilo Avelar havia aberto o placar, mas Henrique (contra) deixou tudo igual. Ao chegar à igualdade, o time rubro-negro passou a controlar as ações do jogo, mas faltou mais precisão no momento de finalizar. Veio o gol corintiano e a festa alvinegra só foi ameaçada nos acréscimos, quando Pará acertou a bola na trave e quase empatou. 

As finais acontecem agora nos dias 10 e 17 de outubro. A CBF definirá o mando de campo por sorteio na sexta-feira. As duas equipes voltam a campo no sábado pelo Campeonato Brasileiro. O Corinthians jogará às 19h, contra o América Mineiro no estádio Independência. O Flamengo visitará o Bahia às 21h.

O JOGO – O Corinthians esboçou uma pressão no início, mas o Flamengo equilibrou o jogo e foi quem assustou primeiro em chute de Éverton Ribeiro, que desviou em Henrique e saiu pela linha de fundo. O torcedor corintiano não parava de cantar e embalava o time anfitrião que conseguiu abrir o placar logo aos 13 minutos. Jadson deu grande assistência nas costas da zaga do Flamengo para Danilo Avelar, que apareceu livre pela esquerda e bateu de primeira para as redes.

Mas não houve muito tempo para festa. O Flamengo respondeu em seguida. Cinco minutos mais tarde, Willian Arão deu linda enfiada de bola entre Danilo Avelar e Clayson. Pará recebeu na área pelo lado direito e cruzou. Henrique desviou contra com o braço.

O Corinthians “sentiu” o gol e os torcedores também diminuíram a empolgação. Para piorar, Fagner colocou a mão na coxa e pediu para sair. Foi substituído por Gabriel. A equipe rubro-negra passou a ditar o ritmo da partida e Henrique Dourado chegou a mandar para a rede, mas estava em posição de impedimento. 

O Flamengo tomou conta do meio-campo e passou a explorar especialmente as jogadas pelo lado esquerdo, nas costas de Gabriel. Por duas vezes, Diego dominou na esquerda, puxou para o meio e deu para Trauco cruzar. Sorte a do Corinthians que ninguém estava na área em nenhuma das duas ocasiões. Para alívio de Jair Ventura, o primeiro tempo terminou 1 a 1.

No segundo tempo, Avelar teve a chance de colocar o Corinthians novamente na frente. Após cobrança de escanteio ele apareceu livre no meio da área, mas bateu para fora. O Flamengo respondeu em cobrança de falta de Diego pela esquerda, que saiu rente à trave.

Faltava ao Corinthians organização. O time passou a buscar o ataque na base da vontade e encontrava tremenda dificuldade para chegar à área do adversário. Do outro lado o Flamengo rodava mais a bola e tinha facilidade para furar a vulnerável defesa corintiana. Paquetá e Vitinho em chutes de fora da área obrigaram Cássio a fazer boas defesas.

Jair Ventura então chamou Pedrinho para o jogo. Ele substituiu Clayson e, na primeira vez que pegou na bola, dominou fora da área e mandou para as redes para delírio da Fiel, que finalmente acordou no segundo tempo.

O Corinthians a partir daí se fechou no campo de defesa. O Flamengo passou a buscar mais as laterais, levantava as bolas na área, mas a zaga alvinegra cresceu e afastou os perigos. Nos acréscimos, Pará ainda acertou a trave de Cássio. Mas no sufoco a classificação veio e o time alvinegro segue com chances de levantar novamente a taça da Copa do Brasil após nove anos.

Veja Mais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *