http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/10/selma_arruda.jpg

Cuiabá, domingo, 16 de junho de 2019

FALOU DEMAIS

Após denúncias genéricas, Senadora Selma Arruda vai ao MPF para ‘dar nomes aos bois’

Marcus Mesquita

Após a reação da Justiça Eleitoral para que as denúncias sobre tentativas de extorsão para aprovação de contas de campanha, feitas pela senadora eleita, Selma Arruda (PSL), de forma vaga e genérica, sejam investigadas, a juíza aposentada voltou a se posicionar sobre o tema para esclarecer que não quis lançar suspeita sobre o TRE-MT.

Em seu Facebook, ela postou na última sexta-feira (14), que procurou o Ministério Público Federal (MPF) para “dar nomes aos bois”. Aproveitou para criticar a imprensa, que segundo ela, “fez mais um barulho desnecessário”.

Também alegou, que novamente, houve distorção sobre o que ela falou ao denunciar num live no Facebook ter sido alvo de pelo menos 3 supostas tentativas de extorsão. “Na primeira, me pediram R$ 360 mil, na segunda R$ 600 mil e, na terceira, me pediram cargos para me absolver nesse processo lá no TRE”, disse ela à ocasião.

A reação dos membros do TRE foi imediata e o desembargador Pedro Sakamoto, foi enfático ao ressaltar que ela precisa “dar nome aos bois”.

Selma Arruda, na condição de juíza aposentada que foi eleita senadora à sombra de seu passado recente como magistrada que combateu a corrupção, tem obrigação de “dar nome aos bois” que a tentaram extorquir em troca de absolvição.

Aliás, ela deveria prever que fazer sérias acusações sem citar nomes levantaria suspeita sobre todo o TRE, órgão responsável por aprovar as contas de campanhas.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 17 de dezembro de 2018 às 15:34:47

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *