http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/02/a426f61d1875fcbc9c3720840fad8e7b.jpg

Campanha Cuiabá 300 anos Shopping Popular
Cuiabá, sexta, 26 de abril de 2019

DEZ MORTOS

Cuiabano de 14 anos escapa de incêndio no CT do Flamengo

JAD LARANJEIRA

Reprodução

O cuiabano Kenedi Lucas, de 14 anos, é um dos atletas que conseguiram se salvar do incêndio ocorrido na manhã desta sexta-feira (8) no Centro de Treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro.

Ele dormia no alojamento sub-14 e 15, onde o fogo teve início.  A tragédia deixou dez pessoas mortas – seis adolescentes jogadores da base e quatro funcionários. Outras três pessoas ficaram feridas – uma delas em estado grave.

Ao MidiaNews, o ex-professor do atleta, Delrick Brune, disse que já conversou com Kenedi e informou que o  jovem está abalado com o que aconteceu, mas não se feriu.

Segundo Delrick, Kenedi acordou com algum barulho, percebeu que o alojamento estava em chamas e correu para pedir ajuda.

“Ele me relatou chorando o que havia acontecido. Até evitei tocar muito no assunto para não deixá-lo mais triste. Mas está tudo bem com ele. Assim que recebemos a notícia já contatamos o pai e o tranquilizamos também”, disse.

O adolescente mora no Centro de Treinamento desde julho de 2018. Ele estava de férias em janeiro em Cuiabá e havia retornado à capital fluminense na última semana.

Além dele, o atleta Gustavo Fernandes, também da Cuiabá, fazia parte dos quadros do Flamengo. No entanto ele não mora no alojamento e não estava no local na hora do incêndio.

O Delrick é dono da escolinha de futebol “DB”, onde Kenedi e Gustavo treinavam antes de irem para o Rio de Janeiro. Para ele, o sentimento é de alívio e ao mesmo tempo de tristeza.

“Sentimos um alívio e ao mesmo tempo ficamos com o coração apertado por conta das outras famílias. Acho que isso fica como um alerta até para nós professores prestarmos mais atenção para onde nossos alunos estão indo. Eu conheci o CT. Era um lugar provisório, um contêiner que eles tinham colocado com estrutura nova para alojar atletas, porque eles estavam construindo lugar maior”, contou.

Até o momento, os atletas estão sendo amparados por seus empresários e não devem retornar a Cuiabá.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 8 de fevereiro de 2019 às 16:44:19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *