http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2018/12/silval.jpg

Campanha Cuiabá 300 anos Unimed
Cuiabá, sexta, 26 de abril de 2019

ACORDO COM A JUSTIÇA

Silval Barbosa pode passar a cumprir prisão semiaberto

Mikhail Favalessa

Reprodução/TVCA

O ex-governador Silval Barbosa (sem partido) pode deixar a prisão domiciliar e passar ao regime semiaberto a partir do próximo mês. A defesa de Silval irá fazer o pedido, que ainda será analisado pelo Ministério Público e pela Justiça.

Silval foi preso preventivamente em setembro de 2015, na deflagração da segunda fase da Operação Sodoma. O ex-governador ficou no Centro de Custódia da Capital (CCC) até junho de 2017, quando passou à prisão domiciliar após ter acordo de colaboração premiada fechado com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Pelos cálculos da defesa do ex-governador, foram cumpridos 21 meses em regime fechado e em 12 de março terão sido cumpridos outros 21 meses em prisão domiciliar, o que justificaria a progressão para o semiaberto.

Até dezembro do ano passado, o ex-governador ficou em seu apartamento no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá. O juiz Marcos Faleiros, da 7ª Vara Criminal, autorizou o ex-governador a cumprir prisão domiciliar em Matupá, cidade na qual Silval iniciou sua carreira política e onde sua esposa Roseli Barbosa tem parentes.

Além do tempo preso, no acordo com a PGR, ele se comprometeu a devolver cerca de R$ 70 milhões entre bens e valores em espécie. Silval entregou um avião bimotor Sêneca 3, de prefixo PT-VRX, avaliado em R$ 900 mil, um lote em Sinop, avaliado em R$ 860 mil, a fazenda Serra Dourada II em Peixoto de Azevedo, avaliada em R$ 33,1 milhões, a fazenda Lagoa Dourada I, também em Peixoto, avaliada em R$ 10,4 milhões, e um imóvel no bairro Rodoviária Parque em Cuiabá, avaliado em R$ 1,2 milhão.

Os R$ 23,4 milhões restantes estão divididos em parcelas que devem ser quitadas até 2022. A próxima vence em março deste ano.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *