http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/02/d1ab38abf16e09ad9f209ba18de04747.jpg

Campanha Cuiabá 300 anos Unimed
Cuiabá, sábado, 20 de abril de 2019

Mesmo com desistência, tucana recebe R$ 122 mil de fundo eleitoral para campanha

Reprodução

ma candidata a deputada estadual em Mato Grosso recebeu R$ 122 mil dos diretórios nacional e estadual do PSDB, mas desistiu da disputa. Os dados constam no site da Justiça Eleitoral, que contém informações sobre cada candidato. E, até o momento, o dinheiro não foi devolvido. 

No cenário nacional, candidaturas femininas do PSL vêm sendo colocadas sob suspeita. Recursos do diretório nacional da sigla foram repassados à candidaturas que tiveram votação inexpressiva. Em alguns dos casos, as então candidatas vieram a público e confirmaram que se tratava de candidaturas laranja.

A legislação estabelece que pelo menos 30% dos recursos do Fundo Eleitoral, financiado com dinheiro público, devem ser investidos em candidaturas femininas, sob o risco das prestações de contas serem reprovadas e/ou as chapas eventualmente serem cassadas pela Justiça Eleitoral.

A então candidata Damares de Castro Monte, com nome eleitoral de Damares PSDB, recebeu R$ 124,3 mil em doações. Quase a totalidade disso, R$ 120,2 mil, vieram da direção nacional da sigla. O diretório estadual tucano repassou R$ 2,1 mil e a então candidata doou a si própria mais R$ 2 mil.

Damares renunciou à candidatura em 25 de setembro – o pedido foi deferido pelo juiz Luís Aparecido Bortolussi. Em sua página oficial de campanha ela comenta a desistência. “Somente como candidata pude conhecer como funciona o processo eleitoral de fato. Devo reconhecer que, entre todas as oportunidades que abracei e experiências que vivi, esta foi a mais difícil, mas também uma das mais transformadoras da minha vida!”, diz trecho – leia aqui.

Com recursos do Fundo Eleitoral, a campanha empenhou, no dia da renúncia e com recursos do diretório nacional, gastos estimáveis de R$ 87,1 mil com “kit propaganda áudio e vídeo candidata PSDB Mulher”, R$ 7,3 mil para “gestão, produção e distribuição de material gráfico candidata PSDB Mulher”, R$ 8,8 mil com “kit material gráfico PSDB Mulher” e ainda os R$ 2,1 mil do diretório estadual com “edição e finalização de vídeos para campanha”. Totalizando R$ 105,3 mil.

Presidente do PSDB Mulher em MT, Euda Oliveira, aguarda explicação da ex-candidata

Os valores “estimáveis” são referentes a materiais de campanha fornecidos pela direção da sigla. A presidente do PSDB Mulher em Mato Grosso, Euda Oliveira, disse à reportagem que os recursos repassados à campanha de Damares ainda não foram devolvidos e/ou tiveram a devida prestação de contas junto ao partido.

Ela ainda afirma que a desistência da candidatura se deu por problemas familiares de Damares. Ao Tribunal Regional Eleitoral, a campanha informou um total de R$ 16,9 mil em despesas efetivamente pagas. A prestação de contas ainda não foi julgada.

“Ainda teremos uma reunião para definir essa questão. O certo é que ela vai devolver o dinheiro porque ela não foi candidata. Não sabemos como vai ser com a nacional, ainda vamos conversar e analisar com a contadora”, disse Euda. A reportagem tentou, sem sucesso, localizar Damares para comentar a situação.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *