http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/03/ZIDANE.jpg

Cuiabá, domingo, 21 de julho de 2019

FUTEBOL ESPANHOL

Zidane volta ao Real Madrid nove meses depois de sair

DIEGO TORRES

Foto: Gonzalo Arroyo Moreno

Zinedine Zidane está de volta ao banco do Real Madrid depois de 283 dias de sua saída do clube merengue. O treinador anunciou, inesperadamente, sua decisão de deixar o Real Madrid em 31 de maio de 2018, após dois anos e meio no cargo, nove títulos e três Champions. “É o momento e o melhor para todos”, disse ele na época, em uma decisão que deixou “gelados” todos os setores da equipe madrilenha.

Zidane retorna em meio a uma grave crise esportiva, desencadeada depois de a equipe perder em apenas uma semana os três títulos em disputa. O francês será o terceiro treinador nesta temporada. Em meados do ano passado chegou Julen Lopetegui, uma contratação polêmica. O basco foi demitido da seleção nacional quando se anunciou seu acordo com o Real Madrid. O ex-treinador permaneceu no banco até 29 de outubro, depois de uma goleada no Camp Nou (5-1), resultado que o deixou sete pontos atrás do líder. Em seu lugar veio Santiago Solari, até então técnico do Castilla. O argentino durou um turno inteiro da Liga. Em seu período, a equipe endireitou o rumo após o Natal, estimulada pela chegada de Vinicius Junior.

No entanto, os jogos de volta das semifinais da Copa do Rei contra o Barcelona (3 a 0), das oitavas da Champions contra o Ajax (4 a 1) e o clássico da liga (1 a 0) desencadearam uma crise séria no Real Madrid. Quando Zidane anunciou seu adeus, ninguém no clube suspeitava que ele iria embora. Muito menos depois de vencer em Kiev a terceira Champions seguida, seu mais recente título desde que chegara ao banco do clube em janeiro de 2016.

Mas Zidane tinha decidido sair. Assim comunicou a Florentino Perez, a quem agora diz sim, retornando apenas nove meses depois de partir porque era “o melhor momento”, já que, segundo argumentou, a equipe “tinha de continuar ganhando e para isso precisa de uma mudança”. Hoje, com o Real Madrid fora de todas as competições prematuramente, Zidane terá de explicar o que o fez mudar de ideia em relação ao final da temporada passada. “Sou ganhador, odeio perder. Se não vejo claramente que vamos continuar ganhando e não vejo as coisas claras, como eu quero, é melhor não continuar e não fazer bobagens”, disse ele então.

Após a dura eliminação na Liga dos Campeões contra o Ajax, nos bastidores do Santiago Bernabéu houve seguidas reuniões em busca de um treinador para reanimar a equipe. Mourinho e Zidane eram os nomes mais citados. Nem mesmo a goleada deste domingo em Zorilla evitou a demissão de Solari, condenado depois de cair contra os holandeses.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 12 de março de 2019 às 09:53:29
  • 12 de março de 2019 às 09:53:14

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *