https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/04/cb767c58809d19052be5042d5f0ec710-e1555255053461.jpg

EM LUCAS

Fávaro descarta disputa pela prefeitura e diz buscar alianças

Chico Ferrira

O candidato derrotado ao Senado, Carlos Fávaro (PSD), afirma que não pretende concorrer à vaga de prefeito nas eleições municipais de 2020. Encabeçando a presidência do Partido Social Democrático (PSD) em Mato Grosso, Fávaro destacou que a legenda se articula agora em busca de alianças para o pleito eleitoral.

Leia também – Fux decide manter investigações contra Blairo em Brasília

“Não vou disputar as eleições em 2020. Tenho muito orgulho e gratidão pelos votos que tive em meu domicílio eleitoral, em Lucas do Rio Verde. Fiquei orgulhoso e respeitoso pelo município, mas não para ser candidato. Vamos buscar agora apoiar partidos aliados e queremos apoio também. Alias, política não se faz sozinho”, disse.

Ele destaca que a intenção da legenda é expandir parcerias para criar uma boa base aliada para a pleito no Estado, principalmente em Lucas de Rio Verde (354 km de Cuiabá), onde se concentra sua principal base eleitoral. “Eu com 11 candidatos ao Senado tive 3 mil votos a mais do que o prefeito vencedor, meu companheiro de partido Luiz Binotti (PSD) e o seu oponente numa eleição polarizada em 2016”, pontuou.

Questionado sobre um possível rompimento da aliança política com o partido do prefeito Emanuel Pinheiro (MBD), ele descartou possibilidade. “Não tem a deliberação de romper, mas temos a deliberação da direção nacional para ter candidatura própria, partido grande tem que ter candidaturas importantes. Isso não teria problema nenhum, até porque o prefeito ainda não manifestou nenhum interesse sobre uma possível reeleição”, frisou.

O partido cita o nome do vice-prefeito de Cuiabá, Niuam Ribeiro, como opção para a Prefeitura de Cuiabá.

Fávaro comentou ainda a intenção de brigar novamente pela cadeira no Senado, caso aconteça novas eleições após o Tribunal Regional Eleitoral determinar a cassação da senadora Selma Arruda (PSL). “Nós (PSD), se contrariarem as decisões unânimes tanto na prestação de contas e agora pela cassação, certamente vamos recorrer. E se caso precise disputar novas eleições eu vou disputar”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais