http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/04/arquivos_453_conteudo_fotos_841151_img_6196_jpg___1_0__jpg2.jpg

Campanha Cuiabá 300 anos Unimed
Cuiabá, quinta, 18 de abril de 2019

CAIXA 2

Janaina lamenta cassação de Selma mas avalia que ‘lei serve para todos’

DA REDAÇÃO

Divulgação

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) lamentou o resultado da audiência que resultou na cassação da candidatura da senadora cassada Selma Arruda (PSL). O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) julgou por unanimidade a precedência da prática de caixa 2 cometidos pela magistrada no período pré-eleitoral.

Leia também -Fávaro descarta disputa pela prefeitura e diz buscar alianças

“É triste uma pessoa começando uma carreira, como a Selma, acabar acontecendo tudo isso. Mas infelizmente assim funcionam as nossas leis eleitorais. E que na minha opinião carecem de muitas mudanças porque não acho que seja você gastar antes ou depois ou pós eleição que seja o diferencial. Mas lei é lei”, disse.

A parlamentar que também possui processos na corte por reprovação da contas de campanha avaliou que o TRE agiu de forma imparcial e defendeu que a lei deve atuar de forma igualitária. “A lei deve ser para todos. Eu também estou passando por um processo, não semelhante a esse, muito menos grave, e encaro isso com muita naturalidade. Aquilo que a gente errou, tem que pagar pelo que errou, que deixou de prestar ou de informar”, complementou.

Selma foi condenada por prática de caixa 2 e abuso do poder econômico na eleição do ano passado, entretanto, deve permanecer no cargo até que o caso esteja transitado em julgado em todas as instâncias. A magistrada já anunciou que irá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além da cassação, o TRE determinou a realização de novas eleição para o Senado. O ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), terceiro colocado para cadeira no senado, já se manifestou afirmando que irá disputar pela vaga, caso ocorra um novo pleito.

Pedido de Cassação 

De acordo com os autos da ação, julgada na última quinta-feira (10) a senadora e seus suplentes, Gilberto Possamai (PSL) e Clerie Fabiana Mendes (PSL), gastaram R$ 1,2 milhão sem haver registro na contabilidade oficial da campanha.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *