https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/06/Parceria-entre-Empaer-e-Emater-de-Goiás-mostra-eficiência-de-pequena-propriedade-rural-1.jpg

BOVINOCULTURA

Parceria entre Empaer e Emater de Goiás mostra eficiência

Extensionista | Empaer

Produtores de leite da região do Vale do Araguaia e extensionistas da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) visitaram a Fazenda Dourados, no município de Abadia de Goiás, no Estado de Goiás, para conhecer a tecnologia utilizada na criação de bovino leiteiro. Com uma produção diária de 1.450 litros de leite por dia, numa área de 32 hectares, os visitantes conheceram o método de fertirrigação, adubação e manutenção das pastagens. A visita contou com a participação de 12 pessoas.

Fertirrigação é o processo de aplicação de fertilizantes via irrigação.

A médica veterinária da Empaer, Luma Camargo Prados, fala que a visita só foi possível devido a parceria com os extensionistas da Emater (Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária) que apresentaram o trabalho executado na fazenda. Ela destaca que o objetivo da visita foi comprovar que é possível produzir com eficiência em uma pequena área. Luma fala que no começo do projeto o produtor realizou adubação para correção do solo e a manutenção foi feita por fertirrigação com  bioestimulantes (hormônios, vitaminas e nutrientes).

A fertirrigação é o processo de aplicação de fertilizantes via irrigação e pode ser realizada por diferentes sistemas, sendo a mais comum a aspersão. A fertirrigação permite administrar a quantidade adequada de nutrientes nos momentos oportunos, otimizando o processo. O zootecnicsta da Emater, Fernando Coelho, que desenvolve a pesquisa com bioestimulante há 12 anos, destaca que esse método de irrigação mantém o equilibrio nutricional do solo e da forrageira, evitando altos custos com a adubação.

Segundo Fernando, o tipo de adubação utilizado na propriedade tem um custo por ano de R$ 165,00 por hectare, representando um décimo em relação ao custo da adubação e correção de solo tradicional, que pode chegar a R$ 1.600,00 por hectare.

Numa área de 10 hectares são criadas 250 vacas em lactação

O produtor rural Wilton Luiz Freitas, proprietário da Fazenda Dourados, recebeu os visitantes e destacou a produção em pastejo rotacionado e irrigado. Numa área de 10 hectares são criadas 250 vacas em lactação e utilizada a variedade de capim tifton 85 para pastagem. O produtor e técnicos da Emater apresentaram o método de fertirrigação e aproveitamento de todos os efluentes da limpeza da ordenha (fezes e urina), além da adubação e manutenção da pastagem com uso de bioestimulantes. A visita contou com a participação de produtores e técnicos dos municípios de Barra do Garças, Pontal do Araguaia e Novo São Joaquim.

O produtor rural Adelcino Francisco Lopo, do município de Pontal, possui em sua propriedade 150 animais da raça Girolanda  e produz em média 1.200 litros de leite por dia ou 32 mil litros de leite por mês. Após a visita na Fazenda Dourados, ele espera produzir mais de dois mil litros de leite ao dia aproveitando os efluentes da ordenha e implantando o pastejo rotacionado, sistema no qual a pastagem é subdividida em piquetes. “A minha vontade era aumentar a produção de leite, e com as informações do produtor e dos técnicos ficou mais fácil, pois pretendo utilizar a mesma tecnologia”, esclarece.

O produtor Adelcino conta que numa área de 20 hectares já implantou a pastagem e utilizou a variedade de grama Jiggs. Serão montados 40 piquetes rotacionados e irrigados. Ele está satisfeito e espera reduzir os custos e aumentar a produção de leite na propriedade.

A visita contou com a participação dos produtores do Vale do Araguaia, Adriana Lima da Silva, Leandro Henrique Figueiredo e Odair Rodrigues Barbosa. Participaram também os extensionistas da Empaer Alexandre Scarello, Felipe Alves dos Santos e Moizeis Alves do Nascimento, além dos técnicos da Emater de Goiás, Hyanka Vieira Silva e Jean Louis Alves Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais