http://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/05/Vereador-Felipe-Wellaton-6.jpg

Shopping Popular
Cuiabá, segunda, 15 de julho de 2019

VERBA INDENIZATÓRIA

Vereador e ex-funcionário farão acareação na Defaz

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS

Edilson Aguiar

O vereador Felipe Wellaton (PV) e seu ex-chefe de gabinete,  Jadson Nazário, deverão ficar frente a frente na próxima terça-feira (16), na Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) a pedido do Ministério Público Estadual (MPE). A informação é do site Rdnews.

Segundo denúncia feita por Jadson ao MPE, Wellaton teria o obrigado a devolver R$ 4 mil pagos de Verba Indenizatória, para manter seu salário de R$ 6 mil na Câmara.

Jadson também afirma que em janeiro de 2017 ele foi rebaixado do cargo de chefe de gabinete para assessor parlamentar. Seu salário teria sido reduzido de R$ 6 mil para R$ 4 mil e mesmo em outro cargo continuou recebendo a VI e a repassado para Wellaton.

Em março, o salário de Jadson  foi reduzido para R$ 3 mil e mais uma vez por ‘erro’ a Câmara pagou a VI ao assessor. E novamente o valor foi entregue a Wellaton.

Aos investigadores, Jadson afirmou ter sido obrigado a comprar materiais de construção para um empreendimento pessoal do vereador no Parque das Águas, além da manutenção de uma caminhonete pertencente a Wellaton, entre outros gastos que não teriam relação com a atuação parlamentar.

O vereador nega quaisquer irregularidades. Em junho deste ano, Wellaton escapou de ser cassado após a Câmara Municipal de Cuiabá arquivar o pedido contra o parlamentar, durante sessão realizada no Parlamento Municipal.

O relatório final do vereador Marcrean Santos (PRTB), relator do caso, foi acolhido pelos demais membros da Comissão de Ética sem nenhuma alteração.

“Aos 30 dias do mês de maio do ano de 2019, reuniram-se no gabinete do vereador relator Marcrean Santos os componentes da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara de Cuiabá, presidente Vinicyus Hugueney e membro Ricardo Saad, tendo sido deliberado pelos presentes a respeito dos autos da representação. Após leitura e análise conjunta dos membros, restou deliberado o acolhimento integral sem qualquer emenda ou observação do relatório proferido pelo relator, concluindo os presentes pela inadmissibilidade da representação e, consequentemente, sua rejeição e arquivamento”.

O ex-servidor comissionado Valmir Molina ingressou com pedido de cassação contra Wellaton, com base na denúncia de que o vereador exigiria a devolução da Verba Indenizatória (VI) de seu ex-chefe de gabinete, Jadson Nazário de Freitas.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 12 de julho de 2019 às 08:18:32
  • 12 de julho de 2019 às 08:17:42

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *