https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/morte-de-jovem.jpg

ASSASSINADA EM 2012

Morte de jovem pode estar relacionada ao tráfico de drogas

Morte de jovem desaparecida pode estar relacionada ao tráfico de drogas. Foto: Assessoria

Envolvimento com o tráfico de drogas pode ser a motivação do assassinato da jovem Joane Glória de Macedo, de 19 anos, desaparecida no dia 29 de março de 2012, no bairro Altos da Glória, em Cuiabá.

A ossada da jovem foi localizada, na tarde de segunda-feira (07), pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), em uma região de barranco, no bairro Barreiro Branco, nas proximidades do Aterro Sanitário da Capital.

A hipótese investigada pela Polícia Civil foi reforçada após depoimento da mãe da moça, na manhã desta terça-feira (08), na DHPP.

Segundo a delegada Anaíde Barros, a mãe contou que no dia do sumiço da filha, ela teria dito que iria “resolver um problema dela” e que desconfiava que a filha estava envolvida com drogas.

A mãe também reconheceu as vestes da filha, encontrada na área junto com os ossos.
O top é o mesmo que a vítima aparece em uma fotografia no Facebook.
Os ossos da moça foram encontrados na área indicada pelo autor do assassinato, C. J. da S., que

confessou ter discutido com a vítima na localidade e a empurrou, quando ela caiu e bateu a cabeça em uma pedra.

Mas para a Polícia, possivelmente, a vítima foi asfixiada e emburrada no barranco.
O suspeito estava preso no presídio do município de Barreiras, no Estado da Bahia, e foi recambiando para Cuiabá.

Ele foi interrogado pela delegada Anaide Barros e confessou que tinha relacionamento com a moça e a matou depois de ela disse que iria “armar uma casinha pra ele”, que no jargão policial significa ameaça de morte ou denunciá-lo, já que é traficante.

Quebra do sigilo telefônico da vítima apontou que a última ligação efetuada foi para o suspeito, que usava um nome falso.

“Quando localizamos ele descobrimos que estava preso em Nova Mutum e logo houve a fuga”, disse a delegada Anaide Barros.

O autor é traficante e foragido da Cadeia de Nova Mutum no dia 5 de fevereiro de 2015, quando vários presos fugiram da unidade prisional depois que agentes prisionais foram dopados por duas mulheres a mando de presidiários da cadeia.

Após a fuga foi para o estado da Bahia e acabou preso por uso de documento falso.
O suspeito tem mandado de prisão pela fuga da Cadeia de Nova Mutum e terá a prisão preventiva representada pelo homicídio da garota, em Cuiabá.

O caso é investigado pelo delegado Luciano Inácio da Silva, que instaurou inquérito policial pelo crime de homícidio, depois de indícios que o desaparecimento da jovem se tratava de assassinato. Foi a equipe do delegado quem recambiou o preso da Bahia até Cuiabá.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *