EDIÇÃO EXTRA

Delegada solicita perícia para finalizar inquérito sobre gráficas

A Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública, da Polícia Judiciária Civil, solicitará perícia contábil para finalizar as investigações da operação “Edição Extra”, deflagrada em 18 de dezembro de 2014, para apurar fraudes em licitação do Estado envolvendo o segmento de empresas do ramo de gráfico.
A operação levou a prisão de empresários donos de gráficas e dois ex-secretários-adjuntos das antigas Secretarias de Estado de Comunicação (Secom) e Administração (Sad).
Nas investigações foram ouvidas 54 pessoas, sendo 32 servidores, sobre às fraudes na licitação.
O inquérito 054/2013 tem 11 volumes com 35 anexos.
A análise contábil será feita pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) em todos os processos de pagamentos das secretarias que aderiram ao pregão 093/2011, para compras de materiais gráficos, notas de saída e entrada de insumos das 12 gráficas investigadas e que ganharam lotes do pregão, além de notas fiscais da Secretaria de Estado de Fazenda e pagamentos do imposto ISSQN.
A investigação espera confirmar se o valor de R$ 26 milhões pagos as gráficas, conforme auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE), se de fato corresponde ao fornecimento real de produtos impressos a órgãos do Estado de Mato Grosso.
“Precisamos ver o que realmente foi executado e teria sido gasto de materiais”, explicou a delegada Liliane de Souza Murata Costa, que preside o inquérito policial.
De acordo com a delegada, cada gráfica utilizou mais que 100% do valor de seu lote no pregão 093/2011,homologado para fornecimento de R$ 40 milhões em serviços gráficos.
“As pessoas que tinham para ser ouvidas já foram todas oitavadas, inclusive as que estavam agora para o final, que eram os fiscais de contratos de todas as secretarias que aderiram o pregão. Agora vamos aguardar que seja feita a perícia contábil em todos os processos de pagamentos, as notas fiscais de entrada e saída das gráficas, tanto da Sefaz e ISSQN, e, com esse resultado , amos finalizar”, afirmou.
Em depoimentos, os servidores que atestaram as notas de entrega de materiais gráficos para divulgação institucional, alguns afirmaram que não conferiram o recebimento do material e que o papel deles era apenas atestar as notas.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *