https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/conselheiro-antonio-joaquim-e1505407538239.jpg

500 METROS DE DISTÂNCIA

Conselheiro do TCE, Antonio Joaquim pede ao Poder Judiciário medida protetiva contra médico

Assessoria

O conselheiro Antonio Joaquim anunciou hoje (14), em entrevista coletiva, que requereu ao Ministério Público Estadual a defesa do cargo público que ocupa no Tribunal de Contas de Mato Grosso.

O pedido leva em consideração a campanha de injúria e difamação e os ataques que lhe vêm sendo feitos pelo sr. Alonso Alves Filho.

O conselheiro também anunciou que ingressou na Justiça com queixa crime e pedido de proteção de garantia de integridade física, para que o sr. Alonso se mantenha a uma distância mínima de 500 metros.

O conselheiro justificou o requerimento afirmando que, bem mais que a sua imagem pessoal, na denunciação caluniosa o sr. Alonso sempre buscou lesar as imagens públicas do TCE e do cargo de conselheiro, ao deliberadamente vinculá-las com as acusações desferidas.

“Nos últimos três anos venho sofrendo uma perseguição implacável. Já ingressei com várias reclamações civis e criminais na Justiça contra o sr. Alonso. Mas a questão já transcendeu à querela pessoal e, inegavelmente, vem abalando a imagem pública, com grave prejuízo institucional”, ponderou.

Entenda o caso

Antonio Joaquim e Alonso Alves Filho são vizinhos de propriedade rural no município de Nossa Senhora do Livramento.

Mantém questões na Justiça desde 2012, quando Alonso quis impedir o uso de uma estrada servidão de passagem que liga duas áreas de Antonio Joaquim e passa pela sua propriedade.

Antonio Joaquim obteve garantia judicial para uso da estrada. De lá pra cá, ele foi alvo de inúmeras acusações, denúncias e processos movidos por Alonso, tendo respondido a todos.
Conforme o conselheiro, a decisão que deixar a condição passiva de apenas se defender e passar a tomar iniciativas judiciais decorreu da constatação de que Alonso Alves Filho ultrapassou todos os limites.

O conselheiro observou, inclusive, que o seu vizinho também tem denunciado juízes, desembargadores, delegados e autoridades sempre que é contrariado ou vê negada a sua vontade.

“Esse senhor Alonso vem tentando construir uma grande farsa, de que eu estaria invadindo a sua propriedade e que seria uma pessoa truculenta. Mas tenho feito questão de sempre procurar a Justiça e garantir meus direitos contra uma pessoa que deixa evidente não respeitar ninguém e que mente de forma escancarada,” disse o conselheiro.

A mais recente denúncia do sr. Alonso contra Antonio Joaquim refere-se a uma suporta obra em uma área de proteção ambiental, na semana passada.

Para atender a ocorrência, a Sema e a Delegacia do Meio Ambiente deslocaram equipes para a região, sem nada encontrar.

Por conta disso, Antonio Joaquim também procurou a DEMA solicitando providências, no intuito de demonstrar que a denunciação caluniosa provoca uso indevido de aparato público.

Foto: Assessoria

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *