https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Pedro-nadaf-Silval-Barbosa.jpg

LEGADO DE SILVAL

CPI das Obras da Copa convoca Pagot e Nadaf para o dia 29 deste mês

Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa se reuniu na manhã dessa terça-feira (22/09) na sequência das oitivas da primeira fase do sumário de sistematização do processo de investigação das obras da Copa do Mundo de 2014.

Dos convocados, dois compareceram e os dois considerados principais depoentes justificaram ausência e remarcaram para o dia 29 deste mês.

“Esses nomes foram encontrados a partir  de um estudo realizado pela equipe técnica da CPI”, justificou o presidente em exercício da comissão, deputado Silvano Amaral (PMDB).

Para a reunião de hoje, foram convocados o  ex-secretário estadual de Esportes (em 2010), atual deputado estadual Baiano Filho; o ex-secretário-adjunto de Esportes (em 2010), Laércio Arruda; superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) da época, Luis Antonio Pagot; Francielli Leão (ex-assessora de Pagot); o presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Carlos Orione e o membro do Comitê Organizador da Copa, Pedro Nadaf.

De todos os convocados, apenas Laércio de Arruda e Baiano Filho compareceram à oitiva, os demais justificaram ausência para os membros da CPI.

Pagot garantiu sua participação no dia 29 deste mês, assim como Pedro Nadaf. Já Francielli não enviou comunicado sobre sua ausência e Carlos Orione, por problemas de saúde, será representado por uma de suas filhas.

Durante os depoimentos de hoje, foi destacado que tanto Laércio de Arruda quanto Baiano Filho, pouco acrescentaram para os membros da CPI sobre as obras da Copa.

O primeiro a depor foi Laércio de Arruda, que esclareceu sobre o período de criação da Agecopa e, posteriormente, do  Comitê Organizador, quando estava ausente de qualquer cargo público.

“Em janeiro de 2011, deixei a subsecretaria e me afastei de todas as discussões sobre a Copa, por isso não tenho como colaborar com qualquer informação. Não vi e nem presenciei obras”, revelou ele.

Ao final, o deputado Wagner Ramos, membro da CPI, questionou Laércio sobre  a existência de um caderno de encargos das obras da Copa.

“Não tinha acesso a esses documentos e nem sabia se existia esse plano de ação”, definiu ele.

Vale lembrar que o sumário envolvendo as obras da Copa contém cerca de 180 folhas e foi dividido na seguinte formação: Título 1 – Contextualização; Capítulo 2 – Processo Cuiabá sede; Seção 1 – A candidatura de Cuiabá sede; Subseção 1 – Histórico; Subseção 2 – Caderno de Encargos Primeira Etapa do Processo de escolha.

Baiano Filho fez uma explanação da escolha de Cuiabá como sede dos jogos da Copa. Também relatou como Cuiabá foi selecionada como uma das sedes para organizar os jogos do mundial, e ainda o real motivo da extinção da Agecopa.

“Ela (Agecopa) acabou porque foi criada uma estrutura forte para organizar os trabalhos. Naquela oportunidade,  Mato Grosso ganhou a vaga devido a boa relação com o governo federal”, afirmou Baiano Filho.

Também participaram da CPI desta terça-feira os deputados Mauro Savi (PR), Max Russi ((PSB) e Dilmar Dal Bosco (DEM).

A próxima reunião está marcada para acontecer no dia 29 deste mês, à 9 horas, no auditório Milton Figueiredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais