OPERAÇÃO METÁSTASE

Justiça de MT mantém empresário e dois servidores da Assembleia Legislativa presos

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) pediu e o Poder Judiciário atendeu a manutenção de três pessoas presas durante a operação Metástase.

Os outros 19 foram ouvidos e liberados.

Continuam presos o empresário Hilton Carlos da Costa Campos e os servidores da Assembleia Legislativa, Geraldo Lauro e Maria Helena Ribeiro Ayres Caramelo.

Os interrogatórios e oitivas de testemunhas continuarão durante toda a semana.

Segundo o Gaeco, as oitivas realizadas dos investigados e testemunhas foram bastante esclarecedoras e não estão descartadas novas prisões.

As investigações realizadas pelo Gaeco e Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa do Ministério Público Estadual, que resultaram na Operação Metástase, apontam desvios na ordem de R$ 2 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa.

As fraudes, conforme o Gaeco, foram cometidas por meio de compras fictícias de marmitas e materiais gráficos com a utilização de verbas de suprimentos, entre os anos de 2011 a 2014.

A operação é resultado do compartilhamento de informações da operação “Ararath”. A prisão dos servidores, conforme o Gaeco, busca ajudar na identificação dos líderes da organização e o destino dado ao dinheiro desviado.

Foram liberados:

01 – WILLIAN CESAR DE MORAES
02 – TALVANY NEIVERTH
03 – MARIO MARCIO DA SILVA ALBUQUERQUE
04 – FELIPE JOSÉ CASARIL
05 – AGENOR JACOMO CLIVATI JUNIOR
06 – ATAIL PEREIRA DOS REIS
07 – MARIA HLENKA RUDY
08 – TANIA MARA ARANTES FIGUEIRA
09 – FRANK ANTONIO DA SILVA
10 – ABEMAEL COSTA NETO
11 – SERVIO TULIO MIGUEIS JACOB
12 – LAIS MARQUES DE ALMEIDA
13 – MARISOL CASTRO SODRÉ
14 – ANA MARTINS DE ARAUJO PONTELLI
15 – JOÃO LUQUESI ALVES
16 – JOSÉ PAULO FERNANDES DE OLIVEIRA
17 – LEONICE BATISTA DE OLIVEIRA
18 – VINICIUS PRADO SILVEIRA
19 – ODENILTON GONÇALO CARVALHO CAMPOS

Foto: Divulgação

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *