https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/10/josé-riva-dois-dois1.jpg

OPERAÇÃO METÁSTASE

Riva foi o campeão em gastos com verbas de suprimentos; ex-deputado gastou R$ 3,8 mi

Divulgação

Uma reportagem do jornal Diário de Cuiabá deste sábado (3) mostra os gastos feitos com a verba de suprimentos, motivo de investigações feitas pelo Gaeco que culminou com a operação Metástase.

Segundo o impresso, os deputados da Assembleia Legislativa gastaram quase R$ 10 milhões com as chamadas verbas de suprimentos no período de 4 anos.

De acordo com o Diário de Cuiabá, são 28 beneficiados que se dividem em deputados e suplentes. Agora, promotores de Justiça cruzam dados para comprovar a existência de gastos.

A verba de suprimentos foi criada para ser destinada a comprar emergenciais de itens como marmitex e material gráfico. Após toda a polêmica de gastos virem à tona, os deputados aprovaram a extinção do benefício.

Oficialmente, a quantia reservada ao gabinete de cada parlamentar correspondia a R$ 8 mil mensal.

O documento que está em análise pelos promotores de Justiça revelam os gastos mais elevados com a verba de suprimentos pertenciam aos membros da Mesa Diretora. O ex-deputado estadual José Riva, que presidiu o Legislativo de 2011 a maio de 2013, gastou R$ 3,890 milhões em quatro anos.

Em seguida aparece o deputado estadual Mauro Savi (PR), primeiro-secretário entre 2012 a 2015, que consumiu R$ 2,548 milhões. Antes de ter o nome aprovado para assumir uma vaga de conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Sérgio Ricardo exerceu o mandato de deputado estadual e gastou R$ 1,280 milhão no período de fevereiro de 2011 a maio de 2012 na primeira-secretaria.

Após a decisão judicial que afastou Riva da presidência do Legislativo, o substituto veio a ser o deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB). O peemedebista é o quarto na liderança de gastos com a verba de suprimentos no período de 2011 a 2014 registrando o total de R$ 681 mil.

Em seguida, aparece o deputado estadual Baiano Filho (PMDB) com R$ 294 mil em gastos registrados. O deputado Wagner Ramos (PR) gastou R$ 192 mil e o deputado José Domingos Fraga (PSD) R$ 153 mil.

No mesmo período, o deputado Pedro Satélite (PSD) gastou R$ 112.500 mil. A partir daí, começam a figurar quantias menores gastas pelos deputados e suplentes que exercem mandato de quatro meses em substituição ao titular do mandato mediante acordos políticos.

O ex-deputado estadual Antônio Azambuja (PP) gastou R$ 94 mil em quatro anos. O atual presidente do Legislativo, deputado Guilherme Maluf (PSDB), aparece com R$ 80 mil, seguido pelo deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) com R$ 86 mil e o ex-deputado João Malheiros (PR) com R$ 71,086 mil.

Na relação dos menores gastos aparecem os petistas Ademir Brunetto e Alexandre Cesar com R$ 58 mil e R$ 50 mil, respectivamente. O republicano Emanuel Pinheiro totalizou gastos de R$ 38 mil e os suplentes de deputado estadual Adalto de Freitas, o Daltinho (SDD), e Neldo Egon (PR) com R$ 32 mil. A mesma quantia foi gasta pelo deputado Luiz Marinho (PTB).

Foto: Divulgação

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *