https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/10/IMVESTIGADORA.jpg

HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO

Investigadora da Polícia Civil de MT conta como venceu o câncer de mama

A investigadora da Polícia Judiciária Civil, Josenice Pacheco da Silva, sabe bem a importância da prevenção ao câncer de mama. Aos 45 anos, em setembro de 2010, descobriu que tinha o câncer durante um exame de rotina.

“Quando descobri levei um susto enorme. Já estava com microcalcificações que tinham tomado conta de parte da mama esquerda”, disse.

O tratamento doloroso só foi superado porque contou com o apoio da família, seu marido, um casal de filhos e sua irmã.

“Comecei a fazer o tratamento e passei por duas cirurgias, entre setembro e outubro. Uma cirurgia foi na mama e outra para retirada de linfonodos”, disse.

“Depois veio a quimioterapia. Muito sofrida. Você toma para sarar, mas morre um pouco. Nesse período achei pessoas maravilhosas que me ajudaram muito. Minha irmã Josilma foi uma delas”, destacou.

A policial é uma das servidoras da Polícia Civil que integra a campanha Outubro Rosa, para orientar mulheres no enfrentamento ao câncer de mama.

A adesão ao movimento foi firmada pela Polícia Judiciária Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar e a Politec.

Em novembro, as instituições policiais da Segurança Pública também estarão na campanha “Novembro Azul”, para ações de prevenção ao câncer da próstata.

A investigadora Josenice, lotada na Diretoria Geral da PJC, conta que logo após a primeira aplicação de quimioterapia, que ocorria a cada 21 dias, seu cabelo começou a cair e teve que raspar a cabeça.

“Meu cabelo estava todo solto e foi nesse momento que me conscientizei que estava com câncer de mama. Aí meu marido raspou”, contou.

Para as mulheres, a investigadora aconselha a não deixarem de fazer o exame anualmente e em qualquer idade.

“Não adiem uma consulta porque na hora que a gente descobre parece que abre um buraco, mas com o tratamento você vê que tem cura”, orientou.

Assistente social, Alcimara Neuza Perin dos Reis, que compõem a equipe psicossocial da Polícia Civil, disse que o setor presta apoio as servidoras quando elas descobrem que estão com o câncer de mama ou outro tipo de doença.

“Oferecemos atendimento e acompanhamento com visitas domiciliares e orientações com relação à licença e direitos para uma boa recuperação. Por isso, acreditamos que a campanha é um importante momento para trabalhar ações preventivas e educativas juntos aos servidores, no sentido de promover a saúde e a valorização”, destacou.

Os servidores da Polícia Civil, da capital e do interior, podem procurar a Gerência de Aplicação, Desenvolvimento, Saúde e Segurança para buscar o atendimento psicossial. O contato é (65) 3613-5627/9972-5945 ou por e-mail: equipepsicossocial-gadss@pjc.mt.gov.br.

Veja Mais

Um comentário em “Investigadora da Polícia Civil de MT conta como venceu o câncer de mama”

  1. Sylvia Queiroz disse:

    Em 2011 descobri um CA de mama D,mudei meu jeito de ver a vida.Sou médica e virei referência na minha cidade,que é no interior,todas as mulheres com suspeita de alguma patologia de mama,me procuram para orienta-la. Sou mais feliz agora!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *