https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/walace-guimarães.jpg

BAIXARIA EM VG

Jaime Campos reafirma xingamentos e rejeita acordo com Walace

Pedido de Walace Guimarães no TRE deverá ser julgado na terça-feira. Foto: assessoria.

Terminou sem acordo uma audiência de conciliação realizada na qual o prefeito cassado de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB) exigia retratação do ex-senador Jayme Campos (DEM) por conta de ofensas ditas em seus discursos logo após a sua esposa, empresária Lucimar Campos (DEM) ser empossada prefeita municipal.

A tentativa de conciliação ocorreu na tarde de ontem) na 5ª Vara Criminal de Várzea Grande.

Por isso, o processo agora seguirá adiante. A defesa de Walace Guimarães reivindica o pagamento de R$ 650 mil alegando ter sido vítima de injúria, calúnia e difamação.

O ex-senador afirma que não aceitou acordo de conciliação porque  tudo o que disse estaria embasado na conduta do ex-prefeito em ação eleitoral que tramita contra o peemedebista. “Não fui eu que acusei;  foi a Justiça Eleitoral e vamos provar isso na Justiça. Por isso, não aceitei acordo e reitero tudo o disse que a respeito dele”, afirmou Jaime Campos.

O ex-prefeito recorreu a Justiça com ação de indenização por conta de declarações feitas em discurso pelo ex-senador.

Em pronunciamentos públicos e solenidades com a presença de diversas autoridades, Jayme Campos apontou Walace Guimarães como líder do PCC (Primeiro Comando da Capital), chefe de quadrilha, cobrador de propina e gestor perverso.

O juiz da 2ª Vara Cível, André Maurício Lopes Prioli, concedeu liminar na qual proíbe qualquer fala ofensiva e estipula o pagamento de R$ 500 reais a cada xingamento proferido pelo ex-senador Jayme Campos. O processo civel também segue tramitação normal.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *