https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/polícia-civil.jpg

CRIME MACABRO

Marido e mulher encomendam morte de amante; seis são presos

Corregedoria da Polícia Civil prende investigador acusado de extorsão . Foto: Divulgação

Seis pessoas envolvidas no homicídio da técnica de enfermagem Telma de Siqueira Pacheco, tiveram o mandado de prisão temporária cumprido, na manhã desta terça-feira (27), em ação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), da Polícia Judiciária Civil.

A operação denominada “Poligamos” levou a prisão o amante da vítima, L. O. R., a mulher dele, I. de C. O. R., apontados como mandantes do crime.

Os acusados W. R. da S. e J. P. de A. foram os executores do crime.

Os suspeitos M. A. de C., J. S. O. tiveram o mandado de prisão por serem investigados por participação na ação.

Um terceiro suspeito, G. S. P. continua foragido.

O crime aconteceu no dia 21 de junho, em frente a casa da vítima, no bairro Getúlio Vargas, na Capital.

Na ocasião, dois homens em uma motocicleta vermelha, pararam em frente a residência e atendidos pelo filho da vítima, disseram que queriam ver a casa pois estavam interessados em comprá-la.

O jovem disse que a casa não estava à venda e um dos suspeitos pediu para que chamasse a Telma.

Quando a vítima saiu da casa foi atingida com um disparo de arma de fogo efetuado pelos suspeitos.

A técnica em enfermagem entrou na casa e pediu para que os filhos chamassem o socorro.

Logo em seguida, o seu amante, L. O. R. chegou e mesmo sendo apontado pelos filhos da vítima como culpado da ação criminosa, chegou a levá-la para o pronto-socorro de Cuiabá.

No dia seguinte ao crime (22), sem dar maiores explicações, o acusado avisou no serviço que não trabalharia naquela semana e que apresentaria atestado médico.

Segundo a Polícia, o casal foragiu para cidade de Mirassol D’Oeste, sendo constato durante diligências, que a casa dos suspeitos, no bairro Tijucal estava fechada.

Segundo o delegado Antonio Carlos de Araújo, o crime é de alta complexidade, tendo como envolvidos mandantes, executores, intermediários e partícipes.

Segundo as informações levantadas pela equipe da DHPP, a mando de L. O. R. o seu cunhado e amigo íntimo, M. A. de C., teria intermediado a ação a ação criminosa com os acusados W. R. da S. e J. P. de A.

G. S. P. foi o responsável pelo fornecimento da arma usada no crime e J. P. de A fez o monitoramento da casa da vítima, momentos antes do crime.

De acordo com as investigações, há cerca de 8 anos, a vítima mantinha um caso amoroso com L. O. R.

Em dezembro de 2014, através das redes sociais, I. de C. O. R. descobriu o relacionamento amoroso do marido com a técnica em enfermagem e passou a ameaçar a vítima de morte.

No dia 21 de fevereiro, a vítima estava conduzindo a sua motocicleta, quando foi atropelada por um veículo Voyage, com dois homens.

Após o atropelamento o veículo saiu em alta velocidade. Uma testemunha disse que a vítima chegou a falar que se algo ruim acontecesse a ela, que I. de C. O. R., mulher de L. O. R., seria a responsável.

Com base nas investigações o delegado Antonio Carlos de Araújo representou pela prisão temporária dos 7 suspeitos, decretada pela Justiça.

Na manhã desta terça-feira (27), equipes da DHPP deram cumprimento a 6 das ordens judiciais

Para o delegado, Antonio Carlos de Araújo, o acusado L. O. R., com o conhecimento da sua esposa I. de C. O. R., foi quem encomendou o crime, com o intuito de realizar mais um susto na vítima, com o objetivo de que ela desistisse da relação com ele.

“Como o suspeito não conseguia abandonar o relacionamento extraconjugal, agia de forma dissimulada, dizendo para esposa que deixaria a amante e dizendo para a vítima que queria se separar da mulher”, disse.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *