https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/11/IMG-20151110-WA0034.jpg

HOMEM-BOMBA

Eder faz acusações contra MPE e deputados dizem que são gravíssimas

Eder Moraes diz que as obras da Copa só não foram concluídas porque ele não estava mais na Secopa. Foto: Bruno Lopes

O ex-secretário Eder Moraes participou de reunião do Colégio de Lideres na Assembleia Legislativa, onde entregou documentos que, segundo o ex-secretário, podem comprometer promotores e procuradores por recebimento ilegal de cartas de crédito.

Eder quer a criação da CPI do Ministério Público e disse que fará delação premiada, informando tudo sobre as liberações de cartas de créditos.

“Ninguém peita o Ministério Público Estadual (MPE) e sei que vou pagar por estas declarações. Porque o pau que bate em Chico, bate em Francisco. Mas esse pau não bate em Paulo, Joaquim e nem em Roberto. Porque ninguém tem coragem de peitar o MPE”.

Ao final da reunião, o ex-secretário falou com a imprensa e disse que os documentos entregues aos parlamentares mostram como as cartas de créditos foram concentradas e como o provimento das mesmas foi realizado.

“Cabe aos deputados julgarem se é procedente ou não a abertura da CPI das Cartas de Crédito. A sociedade merece saber que a situação deve ser investigada. Pau que bate em um, bate em dois”.

Eder disse que os deputados ficaram “assustados” ao ver o teor das provas apresentadas. “Foi um samba do criolo doído. Não realizaram estudo de impacto das cartas de crédito. Foi um ato de irresponsabilidade”.

Moraes acredita na criação da CPI, que precisa de 14 assinaturas para ser instaurada na AL, especialmente porque será a 4ª comissão.

Questionado sobre o objetivo das denúncias só agora, Eder disse que a apresentação das provas não tem a intenção de tirar o foco da CPI das Obras da Copa, em que é o principal investigado por ter sido titular da Secopa.

Ao deixar a sala de reunião, o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) não quis entrar em detalhes, mas admitiu que as acusações de Eder são gravíssimas e precisam ser apuradas.

Já pedetista Leonardo Albuquerque disse apoiar a abertura da CPI porque o que foi dito precisa ser esclarecido. “A imagem do MPE está em jogo”, avalia.

Outro lado

O Ministério Público de Mato Grosso, através da assessoria, informou que não irá se manifestar sobre as declarações de Eder de Moraes.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *