https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/mpe-e1519670868580.jpg

APÓS RECESSO PARLAMENTAR

Depoimentos do MPE na CPI das Cartas de Crédito devem ocorrer ano que vem

Divulgação

As oitivas previstas da CPI das Cartas de Crédito do Ministério Público do Estado só devem ser realizadas no ano que vem na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

A informação é do deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), em declaração feita à imprensa.

A Assembléia Legislativa criou, no início da noite desta terça-feira (17), a CPI que irá investigar possíveis irregularidades na emissão e pagamentos de cartas de créditos, no valor de R$ 7,9 milhões, a 47 membros do Ministério Público Estadual (MPE).

A instalação da comissão teve apoio de 23 deputados. Zeca Viana (PDT) não assinou o requerimento.

A decisão de se instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito contra o MPE foi decidida na semana passada.

Os parlamentares já discutiram também a formação de quem serão os outros membros da CPI.

A criação da CPI é feita após o depoimento do ex-secretário de Estado, Eder Moraes, à CPI das Obras da Copa.

Eder encaminhou documentação aos deputados citando haver irregularidades no processo de emissão das cartas de crédito do Ministério Público.

No dia seguinte a oitiva de Eder, o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB), apresentou requerimento em que solicitou ao Ministério Público Estadual (MPE), todos os documentos relacionados à emissão de cartas de crédito do órgão.

Outro requerimento apresentado por Maluf e encaminhado ao presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Waldir Teis, busca informações se os técnicos da corte de contas promoveram análise em relação à expedição de cartas de crédito do MPE, e se sim, solicita cópia.

A Assembleia Legislativa já começou a analisar os documentos entregues pelo ex-secretário de Estado, Eder Moraes, durante a reunião do Colégio de Líderes de terça-feira (10), referente às cartas de crédito do MPE.

“Nós temos que ter o entendimento de que os documentos entregues precisam ser analisados. Há uma vontade desta Casa de Leis de investigar qualquer denúncia que chegue, seja de qualquer instituição. Não estamos aqui deflagrando uma guerra com nenhum poder e nenhuma instituição, esta é uma prerrogativa da Assembleia Legislativa, de fazer Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), elaborar requerimentos”, afirmou Maluf da tribuna da Casa de Leis.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *