https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/11/roseli-barbosa.jpg

SUPOSTO ESQUEMA

Tribunal de Justiça de MT vota a favor de nova prisão contra Roseli Barbosa

Divulgação

Os desembargadores Rondon Bassil Dower Filho e Alberto Ferreira de Souza votaram nesta quarta-feira (25), favoráveis a nova prisão preventiva da ex-primeira dama Roseli Barbosa e do ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Silvio Cézar Corrêa de Araújo. O único voto contrário foi dado pelo desembargador Luiz Ferreira da Silva.

Mesmo o MPE solicitando a imediata expedição da prisão, os magistrados entenderam de que até o momento deve prevalecer a liminar expedida pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A decisão que concedeu a liberdade foi dada pelo ministro Reinaldo Fonseca e o mérito ainda não foi julgado.

A ex-primeira-dama Roseli Barbosa e outras 32 pessoas foram denunciadas em dezembro do ano passado por suspeita de integrarem um esquema na Secretaria de Assistência Social de Mato Grosso (Setas) responsável por fraudes na ordem de R$ 8 milhões, segundo o Ministério Público Estadual (MPE). O esquema e tinha a participação de servidores públicos e empresários.

Na primeira fase da fraude, de acordo com o MPE, foram criadas instituições sem fins lucrativos de fachada para firmar convênios com a Secretaria de Assistência Social.

Após o recebimento do valor do convênio, a empresa ficava com 36% do valor total do contrato e repassava 40% do valor desviado à secretária Roseli Barbosa em dinheiro e 24% para o então chefe de gabinete de Silval Barbosa e para outro servidor da Setas.

Esse percentual era dividido entre os dois. A propina recebida também era usada para pagamento de dívidas de campanhas eleitorais.

O líder da quadrilha seria um empresário que atua no ramo de cursos profissionalizantes e que é dono de três instituições sem fins lucrativos que estariam sendo usadas na prática de crimes contra a administração pública.

Duas dessas instituições, além de uma terceira empresa, teriam recebido quase R$ 20 milhões nos últimos dois anos para oferecer cursos em programas sociais do Estado.

EX-ASSESSOR DE ROSELI

Por dois votos a um, o TJ expediu ontem novo mandado de prisão preventiva contra o ex-assessor da Secretaria de Trabalho e Assistência Social de Mato Grosso, Rodrigo de Marchi.

Preso em agosto deste ano na “Operação Ouro de Tolo”, que apura desvio de R$ 8 milhões de programas sociais executados na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Marchi é apontado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) como o responsável pelo recebimento de propinas vindos de fraudes em contratos mantidas com o Instituto Concluir, de propriedade do empresário Paulo Lemes. (Com informações do Diário de Cuiabá)

Veja Mais

Um comentário em “Tribunal de Justiça de MT vota a favor de nova prisão contra Roseli Barbosa”

  1. Sou grata a justica! O Brasil o povo Matogrossense esta chorando, clamando por Justica. Enquanto esses ladroes fazem festa, o povo passa por necessidades como saude , um item indispensavel na vida do ser humano. As necessidades nao param ai isso e so um exemplo. Pois que os corruptos do MT e do Brasil paguem tostao por tostao tirado da populacao.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *