NO OLHO DO FURACÃO

Jornal diz que Paulo Prado é investigado pelo STF por causa da Ararath; procurador se defende

O procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Paulo Prado, foi citado em uma reportagem do jornal A Gazeta, desta sexta-feira (4), de que estaria sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal por conta das investigações da Operação Ararath.

A reportagem vem um dia após o Ministério Público Brasileiro prestar solidariedade ao MPE de MT por conta da abertura da CPI das Cartas de Crédito feita pela Assembleia Legislativa do Estado.

Em nota, Prado negou que esteja sendo investigado.

Diante da matéria veiculada no Jornal A Gazeta que circula nesta sexta-feira (4), sob o título “Toffoli manda investigar Prado”, o procurador-geral de Justiça Paulo Roberto Jorge do Prado esclarece:

1º – O seu nome foi citado em razão de uma suposta ligação entre o Promotor de Justiça Marcos Regenold, que à época atuava no GAECO, e o réu Éder Moraes. São fatos antigos que foram devidamente esclarecidos no julgamento de Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado contra o referido promotor de Justiça, que foi absolvido pela Corregedoria Geral do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A decisão foi publicada no dia 24 de novembro de 2015.

2º – O entendimento da Corregedoria Nacional do CNMP, cuja decisão foi amplamente divulgada pela imprensa mato-grossense, foi de que os autos não trouxeram nenhum fato que vislumbre qualquer violação administrativa ou penal do citado Promotor de Justiça.

3º- O Procurador-Geral de Justiça afirma estar tranquilo por não existirem fatos novos, além dos que já foram investigados pela Corregedoria Nacional do CNMP e Corregedoria-Geral do Ministério Público. Esclarece, ainda, que a decisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal não determina a realização de investigação a nenhum membro do Ministério Público, apenas remete o processo ao foro de origem reconhecendo que o STF não tem competência para dar andamento a matéria na esfera penal.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *