https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/silval-56-e1565730302927.jpg

ÚLTIMA ESPERANÇA

Com HCs sem julgamento, Silval e Eder tentam passar natal fora da cadeia

Divulgação

Foto: Divulgação

Na esperança de passar o Natal com a família, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e o ex-secretário de Estado Eder Moraes aguardam o julgamento de recursos em instâncias superiores da Justiça.

Dos cinco presos ilustres do Centro de Custódia de Cuiabá, os dois são os únicos com habeas corpus pendentes de julgamento em caráter liminar.

Diante da negativa de pedidos anteriores, a tendência, entretanto, é que ambos passem as festas de fim de ano presos juntamente com o ex-deputado estadual José Riva (PSD) e os ex-secretários de Estado Marcel de Cursi e Pedro Nadaf.

Os dois últimos são o que estão mais tempo detidos. Eles foram presos no dia 16 de setembro.

A medida é reflexo da Operação Sodoma, deflagrada pela Delegacia Fazendária (Defaz) para investigar a concessão irregular de incentivos fiscais.

Silval teve o mandado de prisão decretado no mesmo dia que os ex-secretários. Contudo, ficou por dois dias foragidos.

O peemedebista se apresentou a 7ª Vara Criminal de Cuiabá no dia 18 do mesmo mês. Ele está preso desde então.

O ex-chefe do Executivo Estadual é considerado chefe do esquema que se dava por meio de concessão irregular de incentivos fiscais durante os anos de 2013 e 2014.

Menos de um mês depois de Silval se apresentar à Justiça, o ex-deputado estadual José Riva (PSD) foi preso pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) em decorrência da segunda fase da Operação Metástase, intitulada Célula Mãe.

Riva já acumula várias derrotas na Justiça. Esta é a terceira vez que ele é preso somente neste ano.

Eder, por sua vez, foi o último a ser preso. Ele foi detido no último dia 05 por ter violado por 92 vezes os termos da utilização de monitoração eletrônica nos últimos 60 dias.

O pedido de revogação da medida cautelar partiu do Ministério Público Federal (MPF) e foi acatado pela Justiça na noite da última quinta-feira (03).

Eder, por sua vez, alega que o seu equipamento está com defeito e que, inclusive, teria um laudo técnico que comprovasse.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *