https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/mosquito-da-dengue-e1499197068630.jpg

TIJUCAL INFESTADO

Cuiabá já tem notificados 50 casos de dengue este ano; três confirmados

Divulgação

Casos de dengue em Mato Grosso aumentam 114,9%. Foto: Divulgação

Segundo dados do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), da Secretaria de Saúde de Cuiabá, no período de 03  a 09 de janeiro deste ano (1ª semana do ano), foram notificados na capital 41  casos de dengue.

No acumulado do ano já foram notificados 50 casos de dengue. Desse total três casos foram confirmados.

Esse número se refere aos casos de dengue notificados no CIEVS, relacionadas a pessoas que residem na capital.

Os bairros com maiores números de notificações de casos de dengue até o dia 14 de janeiro são o Tijucal, com cinco casos, Jardim das Américas com quatro casos, Pedra 90 três casos.

Nos bairros Areão, Baú, Boa Esperança, CPA II e IV, Novo Colorado, Novo Paraíso, Pedregal e Reconto dos Pássaros, foram registrados dois casos, em cada um deles, totalizando 18 casos.

Para combater o mosquito Aedes aegypit, a Coordenação do Centro de Controle de Zoonoses de Cuiabá vem adotando uma serie de medidas relacionadas ao controle vetorial.

Nesta primeira semana de 2016 foram visitados 10.062 imóveis.  Desse total 1.195 receberam tratamento. Os agentes de controle de zoonoses trataram também 1.388 depósitos.

A coordenadora da Vigilância em  Zoonoses da capital, Alessandra da Costa Carvalho alerta a  população para que  notifique os casos de dengue a fim de que  a Prefeitura possa desencadear as ações de  fiscalização, tratamento e combate aos possíveis criadouros do Aedes aegypti, transmissor da dengue e de outros agravos.

“É importante também que estejamos atentos, mantendo nossos quintais limpos, sem materiais que possam acumular a água da chuva como tampinhas de garrafas e outros vasilhames. Os reservatórios no baixo devem estar sempre tampados e o lixo deve ser retirado”.

É sempre bom lembrar que os ovos do mosquito Aedes aegypti podem permanecer por até450 dias em ambiente seco e se reproduz rapidamente quando encontra água parada.

Microcefalia

Em relação à microcefalia o primeiro Boletim Epidemiológico de 2016, divulgado pelo CIEVS no último dia 13 de janeiro mostra que em Cuiabá, até o dia 15 de dezembro foram registrados quatro casos da doença.

A médica veterinária e responsável pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, Moema Couto Silva Blatt explicou que a  rede e os profissionais de saúde estão orientados a ficar atentos a fim de detectar precocemente os casos.

“Estamos falando daqueles casos com possíveis alterações provocadas por infecções causadas pelo Zica vírus, em   gestantes e  fetos. Também devem ficar atentos em relação aos abortos espontâneos e recém nascidos  com microcefalia e/ou outras mal formações possivelmente associadas a infecção pelo vírus Zika, durante a gestação”.

A partir da detecção dos casos, no caso das gestantes elas estão sendo orientadas a procurar as maternidades onde farão seus partos, para serem acompanhadas no pré-natal.

Em Cuiabá, todas as unidades da Secretaria de Saúde estão concluindo o trabalho de desenho do fluxo do atendimento pela rede publica a esses casos.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *