https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/01/arquivo.jpg

BARBÁRIE

Polícia apura se suspeito de matar ex mutilou vítima para ocultar tatuagem

A Polícia Civil aguarda a conclusão do exame necroscópico para determinar o que causou a mutilação no corpo da estudante Fernanda Pimenta Cerqueira, de 35 anos.

O suspeito de praticar o crime é seu ex-marido, Sérgio de Souza Cerqueira.

Ele confessou o assassinato, mas se diz arrependido e negou ser o responsável pelos ferimentos.

O crime aconteceu na casa de Sérgio, em Vicente de Carvalho, distrito de Guarujá, no litoral de São Paulo, no dia 14 de janeiro.

De acordo com informações da polícia, o suspeito descobriu que a esposa mantinha uma relação extraconjugal enquanto eles eram casados, e resolveu tirar a história a limpo.

De acordo com o ex-marido, a vítima confirmou para ele que o havia traído e chamou o suspeito de “corno” em seguida.

O corpo de Fernanda foi encontrado por moradores e estava mutilado. Ela havia tatuado o nome do cônjuge no braço, e o local da tatuagem estava com diversos cortes.

“Ainda é prematuro afirmar algo, pois estamos no aguardo da conclusão do exame necroscópico. O corpo ficou na mata, às margens da rodovia, por dez dias, e talvez a ação do tempo ou de animais possam ter contribuído. A Polícia Civil tem credibilidade na confissão do Sérgio, mas o exame é que vai confirmar o que realmente aconteceu”, explica o delegado responsável pelo caso, Luiz Ricardo Lara, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Inicialmente, Sérgio negou participação no crime, e só mudou sua versão após o corpo da jovem ser encontrado. Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu reunir diversas provas testemunhais e periciais, como fios de cabelo e sangue da vítima no carro do ex-marido.

“Na versão do Sérgio, ele foi até a casa dela levar um suporte para microondas, e isso é certo, pois existem imagens dele entregando esse objeto. Depois, ela entra no carro, pois, segundo Sérgio, ela pediu carona para ir a uma costureira que mora perto da sua residência. No entanto, ela acabou entrando na casa do Sérgio para combinar detalhes sobre como pegar o filho, que passa férias na casa dos avós paternos, no interior de São Paulo”, detalha Lara.

Nesse momento, houve uma discussão entre os dois, por ciúmes, e o suspeito estrangulou a ex-mulher, a colocou no carro e deixou o corpo às margens da Rodovia Rio-Santos.

Feminicídio

O suspeito foi indiciado pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio triplamente qualificado, por conta do estrangulamento, da impossibilidade de defesa da vítima e pelo crime se encaixar na nova lei do feminicídio, sancionada pela presidente Dilma Rouseff em março deste ano.

“Eles tinham uma união constituída, com filhos, então fica caracterizada a violência doméstica, que é uma das características do feminicídio, que também envolve a questão do gênero”, diz o delegado.

Ainda de acordo com Lara, não há registro de Boletim de Ocorrência ou qualquer citação de brigas nos depoimentos de parentes ou amigos de Sério e Fernanda.

Sérgio cumpre prisão temporária de 30 dias na carceragem do 1º Distrito Policial de Guarujá. Caso a Justiça determine a prisão preventiva do suspeito, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de São Vicente.

Foto: Arquivo Pessoal

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *