https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/cpi-dos-incentivos-fiscais.jpg

NESTA QUINTA-FEIRA

Com bens bloqueados, homem forte da JBS Friboi será ouvido em CPI

Assessoria

Zé Carlos do Pátio é escolhido como relator do Plano Plurianual. Foto: Assessoria

O empresário Valdir Aparecido Boni, do grupo JBS/Friboi, deve ser ouvido nesta quinta-feira (4) na CPI dos Incentivos Fiscais da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Boni é um dos homens fortes da empresa na região Centro-Oeste.

A CPI dos Incentivos Fiscais investiga a concessão ilegal de incentivos e renúncia fiscal para empresas de Mato Grosso durante a gestão de Silval Barbosa (PMDB).

Segundo o presidente da Comissão, deputado estadual José Carlos do Pátio (SD), os trabalhos de investigação devem terminar no dia 30 de março deste ano.

Pátio adiantou que muita gente vai ter problemas com o Poder Judiciário do Estado porque a CPI deve encaminhar ao Ministério Público todas as informações para que ações sejam propostas pelos promotores.

BENS BLOQUEADOS NA JUSTIÇA

A JBS Friboi foi alvo de uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Estado para bloquear bens do empresário e da empresa por causa de ilegalidades na concessão do benefício.

A ação foi aceita pelo juiz Luis Aparecido Bertolucci Júnior, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular, com data de 20 de outubro de 2014.

A indisponibilidade dos bens na ação é de R$ 73.563,484,77.

O valor seria referente ao mesmo concedido pelo Estado em forma de crédito fiscal ao grupo JBS, relativo a matérias-primas e insumos adquiridos no período de 2008 a 2012.

Além da empresa e de Boni, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e os ex-secretários de Fazenda, Marcel Souza de Cursi, Edmilson José dos Santos e da Casa Civil, Pedro Jamil Nadaf, também foram alvos da ação e tiveram os bens bloqueados pela Justiça.

Abaixo, os valores bloqueado de cada um no processo.

Ex-secretário de Fazenda de Mato Grosso, Marcel Cursi, que é servidor de carreira, teve o maior bem preso pela Justiça no Banco do Brasil: R$ 1.603.924,28, depois foi a JBS/Friboi com R$ 73.563.484,77 do Bic Banco.

O empresário Valdir Aparecido Boni que teve os bens bloqueados em R$ 535.520,84 do Unibanco e R$ 8.979,85 da Caixa Econômica Federal.

Pedro Nadaf (PR) também divididos em dois bancos: R$ 282.838,48 do Banco Safra e R$ 201.709,18 do Banco do Brasil.

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) no valor de R$ 155 mil e o ex-secretário de Fazenda do Estado, Edmilson dos Santos no valor de R$ 1.686,57.

Foto: Assessoria/ALMT

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *