https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/polícia-civil.jpg

FORA DE CIRCULAÇÃO

Polícia Civil prende homicidas e esclarece 4 homicídios em Sorriso

Corregedoria da Polícia Civil prende investigador acusado de extorsão . Foto: Divulgação

Dois jovens tiveram mandados de prisão cumpridos por crimes de homicídios em investigações da Polícia Judiciária Civil de Sorriso (442 km ao Norte).

Os suspeitos são acusados do assassinato de quatro pessoas em Sorriso, nos anos de 2014 e 2015.

O trabalho está inserido na Operação da Segurança Pública, Carga Máxima, de combate à criminalidade em todo o Estado de Mato Grosso.

O suspeito R. de S. teve o mandado de prisão preventiva cumpridos dentro do Presídio Osvaldo Leite Florentino, o “Ferrugem”, em Sinop (500 km ao Norte), e R. Z. na Penitenciária Regional Major Eldo de Sá Corrêa, mais conhecida por “Mata Grande”, em Rondonópolis (212 km ao Sul).

De acordo com o delegado Pablo Borges Rigo, o suspeito R. de S. responde por três homicídios no ano de 2014.

Um ocorrido no dia 14 de abril de 2014, que vitimou Paulo Roberto, motivado por dívida de drogas.

Outro no dia 12 de dezembro de 2014 contra Wendel Sobral, por motivo passional.

O terceiro crime levou a morte de Gessilene Diniz da Rocha, conhecida por “Toquinha”, no dia 27 de dezembro de 2014.

A moça foi morta por erro na execução.

O alvo era uma homem que devia dinheiro de droga ao suspeito R. de S., mas os disparos acabaram acertando a mulher que foi à óbito.

A investigação começou como latrocínio, mas logo foi esclarecida que se tratava de um homicídio.

 “Esse caso teve grande repercussão na cidade, com passeada pública para a solução do crime”, disse o delegado.

Já o suspeito R. Z. é apontado no assassinato de Cristiano Pontes, morador de Sinop, que  estava desaparecido desde o dia 13 de maio de 2015.

A ossada da vítima foi encontrada em setembro do mesmo ano e foi reconhecida pelo irmão de Cristiano, por meio das vestes nas imagens veiculadas na imprensa do encontro da ossada.

Nas investigações, a Polícia Civil requisitou quebra de sigilo telefônico da vítima, que após cruzamento das informações, chegou se ao autor R. Z. , que já estava preso por outros crimes, em Rondonópolis.

A vítima e o autor praticavam crimes na região. Mas o plano era atrair Cristiano para ser executado em Sorriso, a mando de uma facção criminosa.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *