Mais de 248 mil imóveis são vistoriados em ação de combate ao Aedes aegypti

Mato Grosso já contabiliza mais de 248 mil imóveis vistoriados para eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti.

O trabalho, que vem sendo realizado nos 141 municípios desde janeiro, totaliza uma média de 6,2 mil imóveis inspecionados por dia.

De acordo com levantamento repassado à Secretaria de Estado das Cidades (Secid), por meio da Defesa Civil de Mato Grosso, do total de locais visitados, cerca de 13,5% possuíam focos do vetor responsável pelas doenças chikungunya, dengue e zika vírus.

Responsável por coordenar a Sala de Comando e Controle, a Secid/Defesa Civil Estadual recebe relatório atualizado das visitas aos imóveis realizadas nos municípios.

Os números são enviados pelos municípios para que sejam compartilhados na sala com os demais integrantes do projeto.

Também fazem parte a Defesa Civil Nacional, Ministério da Saúde e da Educação e ainda as secretarias estaduais de Saúde (SES), Segurança Pública (Sesp), Educação (Seduc), Trabalho e Assistência Social (Setas) e Casa Civil.

De acordo com o relatório, foram identificados 33.395 focos do mosquito nos imóveis visitados.

Entre os municípios com os maiores índices estão Barra do Garças (67,4%), São José do Povo (65,2%), Guiratinga (65%), Juara (65%), Juscimeira (65%), Poxoréu (65%), Itiquira (64,9%), Jaciara (64,9%), Paranatinga (64,9%), Pedra Preta (64,9%) e Primavera do Leste (64,9%).

Superintendente da Defesa Civil de Mato Grosso, tenente-coronel Abadio José da Cunha Júnior ressalta que os dados são de 103 cidades do Estado, isto porque as demais ainda não encaminharam as devidas informações à Sala de Comando e Controle. Exemplo de municípios que ainda não atualizaram os dados está Cuiabá.

“Temos, até o momento, que na capital foram visitados 10 mil imóveis, mas não sabemos em quantos desses foram encontrados focos, quantos passaram por tratamento larvicida, quantas visitas foram recusadas e demais informações. É muito importante que os municípios repassem todos os dados para que tenhamos uma visão real da situação no Estado. Assim como Cuiabá, há outras cidades que também não nos informaram tudo ainda”, pontuou Cunha.

O relatório mostra que nos 103 municípios, 22.602 imóveis foram encontrados fechados durante as visitas das equipes, além de 285 locais que tiveram a entrada de agentes proibida pelos proprietários.

Para o superintendente, diante da proliferação do mosquito e, consequentemente, das doenças transmitidas por ele, é importante que a população também contribua e faça sua parte.

“O país está em alerta contra o Aedes aegypti e é preciso que todos ajudem. Quando alguém barra a entrada de um agente de endemia para vistoriar a casa, pode estar contribuindo com a permanência das larvas deste mosquito. É possível que tenhamos bem mais do que estes 33 mil focos encontrados no Estado”, frisou Cunha.

Apoio

Com uma média de 23,7% imóveis visitados desde janeiro, Mato Grosso ganhou na semana passada o reforço do Exército para atuar junto às equipes da Secretaria de Estado de Saúde.

Ao todo, serão aproximadamente mil militares que também participarão do Plano Estadual de Enfrentamento ao mosquito. Para os próximos dias estão programadas as ações “Sábado da Faxina – Não dê folga para o mosquito da dengue”, que será realizada no dia 13 de fevereiro; e ainda o mutirão de limpeza em comércios, órgãos públicos e residências, dos dias 15 a 19 de fevereiro.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *