https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/lucimar.jpg

DESCONTROLE DO AEDES AEGYPTI

Prefeita decreta situação de emergência na saúde pública de Várzea Grande

Divulgação

A prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM),  assinou na tarde desta quinta-feira (11), o decreto de nº 09 de 11 de fevereiro de 2016 que declara situação de emergência em Saúde Pública no município e institui o Comitê de Mobilização e Combate ao mosquito Aedes Aegypit.

O Ministério da Saúde declarou, no mês passado, Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional por alteração do padrão de microcefalia no país.

De acordo com a prefeita, Várzea Grande também decreta situação emergencial em saúde pública levando em consideração o último Levantamento Rápido do Índice de infestação- Lira realizado em dezembro de 2015, quando o município apresentou um valor de 5,6, o que representa alto risco de transmissão das doenças transmitidas pelo mosquito como a dengue, o zika vírus e a chikungunya.

“Todos nós devemos estar unidos contra o mosquito porque infelizmente as conseqüências estão aumentando de acordo com os dados da Saúde Pública. A microcefalia provocada pelo zika vírus está atingindo as nossas crianças e gestantes. Cada um é responsável para eliminar possíveis criadouros dentro de suas casas e o Poder Público traça esse grande Plano de Ação que vem a contribuir ainda mais na eliminação do mosquito. Várzea Grande está engajada nessa luta”, disse a prefeita.

A prefeita esclareceu ainda que a situação de emergência em saúde pública de importância nacional ocorre em situações que demandem o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública.

“É isso que estamos buscando. É por meio da união de esforços e trabalho em conjunto que estamos dando início a essa campanha de mobilização envolvendo a sociedade e seus segmentos organizados em uma força tarefa contra o mosquito. Qualquer local, resíduo de lixo, pneu velho, se tiver água, ele reproduz o mosquito. É importante que a população perceba que essa é uma ação conjunta que depende do esforço de todos. O nosso objetivo é engajar todos nesta luta e que ela seja vitoriosa”, declarou a prefeita.

O secretário municipal de Saúde, Cassius Clay de Azevedo, explica que o Plano de Ações Emergenciais no enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypit será de 90 dias de atividades intensas e ininterruptas divididas em quatro etapas com visitas domiciliares dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, limpeza e retirada dos bolsões de lixo e de terrenos baldios.

”Cerca de 372 pontos estratégicos definidos pela Vigilância Municipal serão fiscalizados e os proprietários de terrenos não habitados e sem limpeza serão notificados, além dos outros encaminhamentos contidos no Plano”, informou o secretario.

Segundo Cassius Clay a execução do Plano de Ação Municipal foi dividida por setores, onde todos os bairros receberão as atividades por meio de mutirões.

O primeiro mutirão será na região do Grande Cristo Rei com a realização do Dia D de combate ao mosquito, dia 26 de fevereiro, às 09 horas, na Praça Áurea Bras.

Para o dia D serão utilizados 10 caminhões (carga seca e vasculante), 40 técnicos para fazer o serviço da limpeza, 220 pessoas para as visitas domiciliares, 20 pessoas para fazer o controle químico, 21 supervisores de campo e 04 supervisores gerais.

“Cada etapa terá uma duração média de 15 dias em cada região. Encerrado esse período a equipe de trabalho estará retornado aos locais visitados para inspecionar se os bolsões retirados não surgirão novos. O objetivo é que a população não utilize de locais públicos para jogar o lixo domiciliar e ficar atenta aos dias estipulados em que é feita a coleta do lixo”, ressaltou Cassius Clay.

Depois da ação na região do Grande Cristo Rei, os próximos bairros a receber os mutirões serão: Setor 02 – Grande Centro e Região. Setor 03 – Bairros Jardim Glória, Mapim e região. Setor 04 – Bairro São Mateus e região.

Os setores foram divididos com base na população total do município de Várzea Grande, cerca de 200 mil habitantes. Em cada etapa serão visitados em média 30 a 40 mil imóveis.

DADOS: De acordo com dados do Sistema Nacional de Informação (Sinan) até o momento foram notificados 904 casos de zika vírus, 68 casos de dengue e nenhum registro de chikungunya.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *