https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/lucimar.jpg

REMÉDIOS SUPERFATURADOS

Líder de Lucimar é expulso de investigação após antecipar voto sobre investigação

Divulgação

O vereador por Várzea Grande – Claido Celestino Batista “Ferrinho” (PROS) foi destituído da presidência da Comissão Processante (CP), formada na semana passada pela Câmara Municipal.

Ferrinho é líder da prefeita Lucimar Campos (DEM), na Câmara de Vereadores do município. Em seu lugar assumiu Nilo Campos (PV). A troca aconteceu na noite desta quarta-feira (24), durante sessão ordinária.

O objetivo da CP é de investigar denúncia feita pelo vereador Fábio Saad (PTC), sobre falsificação de documentos que seriam usados para fraudar dispensa de licitação e superfaturar preços de medicamentos na secretaria de Saúde do município, sobre o processo 339382/2015, termo de referencia 70/2015, cujo valor ultrapassa R$ 2 milhões.

Dos 21 vereadores que compõe a Casa de Leis, 18 comparecem na sessão, e nove disseram sim a aprovação de um requerimento de autoria dos vereadores; Pedro Paulo Tolares “Pedrinho” (SD) e Waldir Bento (PMDB), que pediu o afastamento de Ferrinho.

Pedrinho e Waldir argumentaram na tribuna da Casa que Ferrinho não tinha mais nenhuma condição de continuar a frente da Comissão, após ter dado entrevista a um site de notícias da cidade (21.02), onde praticamente declarou o voto antecipado ao relatório ainda a ser confeccionado sobre os indícios de irregularidades.

Na entrevista, Ferrinho declarou de que teria solicitado advogado a prefeita Lucimar para auxilia-lo nos trabalhos da comissão.

“Após a entrevista ao site de notícias do município ficou questionável a defesa antecipada do vereador Ferrinho, principalmente, por ele exercer a liderança do executivo na casa”, explicou Pedrinho.

Já o vereador Waldir Costa disse que o regimento interno da Casa não veda ao vereador manifestar por qualquer meio de comunicação opinião sobre processo pendente de julgamento seu ou de outro, “porém, não é de bom grado imitir parecer pré-relatório, ainda mais na função de presidente da comissão”, observou o peemedebista.

Na visão do vereador Ivan dos Santos (PT), “Ferrinho cometeu uma irregularidade ao manifestar opinião e antecipar publicamente de como direcionará o voto que deverá apresentar na final da conclusão da CP.”

Para a vereadora Miriam Pinheiro (PMB), “as declarações de Ferrinho na mídia vão a uma sintonia única e precipitada, principalmente, quando diz que irá pedir auxilio para quem está sendo investigada.”

O vereador Chico Curvo disse acreditar no caráter do amigo e colega de Casa, “mas concordava que Ferrinho havia se complicado diante das declarações dadas ao site de notícias.”

“Não tem como não trocar. As declarações de Ferrinho deixou a Câmara praticamente de joelhos perante o poder executivo”, destacou Fábio Saad.

Por sorteio, o vereador Nilo Campos (PV), se fez novo componente da Comissão, mas não na função anteriormente ocupada por Ferrinho.

Por decisão acordada entre os parlamentares, a constituição da nova Comissão ficou assim: Waldir Bento (presidente), Pedro Paulo Tolares (relator) e Nilo Campos (membro).

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *