https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/arena-pantanal.jpg

OBRAS DA COPA

CPI requisita relatório parcial da KPMG e convoca Concremat e Santa Bárbara

Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa requisitou em caráter de urgência, o relatório parcial da KPMG, consultoria contratada pelo governo do Estado para apontar a viabilidade do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A deliberação ocorreu na sessão desta terça-feira (1), a pedido do relator da CPI, deputado Mauro Savi (PR) que contou com voto favorável do presidente Oscar Bezerra (PSB) e de Wagner Ramos (PR).

A convocação de duas testemunhas também foi aprovada, sendo Aedyl Luiz Salemo Penido, à época dos fatos, Superintendente de Orçamentos da Santa Barbara Engenharia e João Bazilio de Abreu que respondia enquanto engenheiro Coordenador Geral da Concremat Engenharia.

A Concremat era a gerenciadora das obras da Arena Pantanal, apontada em depoimento do ex-secretário adjunto de infraestrutura Marcelo Oliveira, como responsável por elaborar relatório de todo o processo das obras, sendo que todo o conteúdo era analisado pela equipe técnica da Secopa, depois passava pelo crivo da auditoria e só após recebia a ordem de pagamento.

O ex-adjunto também destacou que a Concremat foi a responsável por realizar revisão em conjunto com a GCP, que elaborou o projeto para a Arena Pantanal, conforme o andamento da obra.

 Já a Santa Barbara Engenharia que deixou o Consórcio Arena Pantanal para pedir recuperação judicial, deve prestar esclarecimentos sobre comunicação interna eletrônica entre a Secretaria de Turismo (Sedtur) à época sob o comando de Yuri Bastos, a empresa Castro Mello e a empreiteira, em 23 de dezembro de 2008, quando o então chefe de gabinete da secretaria, Albano Luz, encaminhou PEDs para emissão de notas fiscais. A Santa Barbara sagrou-se vencedora da licitação para construção do estádio em 2010.

A Castro Mello elaborou projeto para Arena Pantanal, pelo valor de R$600 mil com dispensa de licitação, que depois foi descartado para utilizar projeto da GCP contratado por R$14 milhões e também com dispensa de licitação.

Com relação ao relatório da KPMG, o relator da CPI, deputado Mauro Savi (PR) ponderou a necessidade de solicitar novamente o relatório parcial sobre o VLT, tendo em vista que a imprensa do Estado já veicula informações que apontam a viabilidade do modal.

Com isso, a CPI requisitou o relatório parcial, considerando também que o prazo para conclusão dos trabalhos de investigação termina no fim do mês de maio.

Na mesma sessão, Wagner Ramos foi eleito vice-presidente da CPI das Obras da Copa, pois o deputado estadual Silvano Amaral (PMDB) está de licença de suas atividades parlamentares.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *