https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/cpi-dos-incentivos-fiscais.jpg

É BEM MT

CPI dos Incentivos Fiscais descobre que até homicida foi beneficiado na gestão Silval

Assessoria

Zé Carlos do Pátio é escolhido como relator do Plano Plurianual. Foto: Assessoria

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal da Assembleia Legislativa de Mato Grosso identificou que entre os 6 empresários que sonegaram impostos entre os anos de 2010 a 2014, no Regime Especial, figura um presidiário que responde pelo crime de homicídio.

A revelação foi feita na tarde desta quarta-feira (2) pelo deputado estadual e presidente da CPI, José Carlos do Pátio (SD), na reunião da Comissão que aprovou a convocação de Paulo Bernardes de Campos, sócio da empresa Folha Verde, preso na Cadeia Pública do Capão Grande, em Várzea Grande e acusado de sonegar R$ 101 milhões.

A empresa foi beneficiada pelo regime especial, no qual comercializa o grão e pode pagar o imposto depois.

“Ele é proprietário de uma empresa de comercialização de grãos e é homicida. Através de uma investigação foi possível notar que a maioria desses empresários que receberam incentivos no regime especial responde por crimes. É estranho”, disse.

A Comissão acredita que essas empresas estariam em nomes de “laranjas”. Fato este que foi comprovado em uma visita in loco no último dia 2 de fevereiro em três endereços que deveriam abrigar empresas beneficiadas.

Em um dos endereços onde deveria estar a empresa Nova Grãos, por exemplo, foram encontrados apenas travestis no local.

Na sede da segunda empresa beneficiada por incentivos, a Folha Verde Grãos, deveriam estar a Mira Grãos e Fértil Solo.

Em nenhum dos endereços foi comprovado a existência das empresas que sonegaram os valores milionários sobre os incentivos.

Esta última, o proprietário Aldevino Aparecido Bissoli, foi convocado para prestar depoimento na CPI, porém, não compareceu.

Pátio adianta que ele irá depor coercitivamente. ” Ele será trazido por força policial. Estas pessoas não cumpriram metas do Prodeic em criar empregos e produtividade”.

Na reunião desta quarta, também foi votado requerimento que solicita a presença do dono da JBS, Wesley Batista.

Ele terá que explicar sobre os incentivos que sua empresa recebeu durante a gestão de Silval Barbosa (PMDB), preso sob acusação de participar de um esquema de pagamento de propina para concessão de incentivos fiscais.

Além dele, estão presos também os ex-secretários de Fazenda, Marcel de Cursi e,  Pedro Nadaf, da Chefe da Casa Civil.

Em relação ao depoimento do presidiário, a Comissão aguarda a autorização do juiz da 1ª Vara Criminal de Várzea Grande, Otávio Vinicius Affi Peixoto, para que ele possa depor nos próximos dias. Com informações do Gazeta Digital

Veja Mais

Um comentário em “CPI dos Incentivos Fiscais descobre que até homicida foi beneficiado na gestão Silval”

  1. Jully Esther disse:

    Infelizmente estes são os políticos que Mato e o Brasil tem. Mas quem sabe depois destas prisões que acontecido possa ajudar os político a ter mais respeito com o dinheiro público.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *