https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Pedro-Taques-03-e1500912620870.jpg

OPERAÇÃO LAVA JATO

“Ninguém está acima da lei”, diz Taques sobre Lula ser novo alvo da Polícia Federal

Divulgação

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que a 24ª fase da Operação Lava Jato, que teve como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), demonstra que “ninguém está acima da lei”.

Em entrevista durante o Fórum dos Governadores do Brasil Central, na manhã desta sexta-feira (04), em Goiânia, o tucano disse que a data será lembrada daqui a 10 anos.

“Espero que esta operação dê em um Estado mais limpo, em que todos sejam iguais perante a lei. Não existe ninguém que esteja acima da lei. A lei não serve para beneficiar os amigos, nem para prejudicar os inimigos. Quem cometeu algum ilícito tem que ser responsabilizado”, disse.

“Sem fulanizar a conversa, mas esta é uma data importante para o Brasil. Daqui a 10 anos vamos lembrar desta data. E quem falar que isso é golpe, perseguição, seja lá o que for, está redondamente enganado. As instituições estão funcionando e isso é a demonstração da democracia”, afirmou.

Para Taques, os fatos desencadeados pela operação da Polícia Federal já eram esperados.

“Não há novidade no que está acontecendo hoje. O que existe é uma parte da história que nós não vemos. E isso já ocorreu no Brasil várias vezes. Nós chegamos a este momento da sociedade em razão de incompetência e de ilícitos. As causas são essas. Já as consequências nós estamos sentindo agora”, disse.

O tucano citou o fato de o dólar operar em queda, na Bolsa de Valores, de pouco mais de 3%. Ele sugeriu que a alta na Bolsa seja reflexo da operação.

“Quem vai sobreviver nesta chuva é aquele que tiver a capacidade de saber que nós vivemos outro momento histórico. Nós todos nos lembraremos desta data. Aí fora tem uma chuva, mas essa chuva vai passar”, afirmou.

Críticas a Dilma

Por fim, Taques criticou, novamente, a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT).

Ele disse sentir dificuldades em conseguir trazer investimentos internacionais para o Estado.

 “Fui a Washington, Nova York, Barcelona, Paris e Abu Dhabi. Mas do que adianta se nesses lugares em que existe dinheiro, os investidores que lá estão, a primeira pergunta que fazem é quem governa o Brasil?”, questionou.

“Tal qual o Papa Francisco, nós temos um papa emérito. Precisamos entender que o caminho é a política, não a ‘politicalha’. Nós precisamos fazer política de qualidade”, completou.

A operação

Lula foi alvo de um mandado de condução coercitiva (quando o investigado é levado para depor e depois liberado) em seu apartamento em São Bernardo do Campo e foi encaminhado ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Na 24ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta sexta (4), o Ministério Público Federal afirmou que há evidências de que o ex-presidente recebeu valores do esquema da estatal por meio das reformas em um apartamento tríplex no Guarujá, de um sítio em Atibaia e também por meio de doações e palestras.

Além de mencionar os casos do sítio e do tríplex, o Ministério Público Federal afirma que há “fortes indícios” de que a empreiteira OAS pagou R$ 1,3 milhão a uma empresa contratada para armazenar pertences de seu período na Presidência.

O contrato teve seu “real objeto escondido”, afirma o comunicado, porque a nota fiscal informava que os itens armazenados eram da OAS.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *