https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/11/camara.jpg

MÁFIA DO RODÍZIO

Justiça marca audiência com ex-vereadores de Cuiabá acusados de fraudar licenças

Divulgação

A juíza da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular, Célia Regina Vidotti, designou para o dia 29 de março audiência de instrução na qual sete ex-vereadores são acusados pelo Ministério Público Estadual (MPE) de fraudar licenças médicas.

O suposto ‘esquema de rodízio’ foi delatado pelo então vereador Silvado Dias Campos, em 1999.

De acordo com a denúncia do MPE, os vereadores pediam licença com atestados médicos falsos para permanecer fora as atividades pelo período de até 120 dias, porém, recebendo salários normalmente.

Ao mesmo tempo, o esquema favorecia suplentes com ‘mandato-tampão’ de quatro meses.

Para obter as licenças médicas, os atestados citavam sempre estresse, gastrite e hipertensão.

A denúncia feita pelo Judiciário foi recebida em janeiro de 2012.

Em outra ação civil pública semelhante, a Justiça condenou, em novembro de 2014, cinco ex-vereadores de Cuiabá a devolverem aos cofres públicos todo o salário recebido no período em que permaneceram afastados do mandato por meio de atestados médicos falsos.

Toda a quantia recebida indevidamente no período deverá ser acrescida de juros e correção monetária de 1% ao mês, que deverá incidir desde o primeiro dia do afastamento.

Todos exerceram mandato entre 1997 e 2000 e tiraram licenças em 1999 alegando doenças similares.

Eles ainda foram condenados à perda dos direitos políticos pelo período de 5 anos e proibidos de contratar com o poder público ou receber incentivos fiscais, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos. Com Diário de Cuiabá

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *